A história de “Girls Just Want to Have Fun”, o hit feminista de Cyndi Lauper

Sucesso de 1983 virou um hino contra o machismo e a favor da igualdade de gêneros, e isso não aconteceu por acaso

Em 1983, o mundo ganhou um hit diferente que se tornaria um hino feminista nos anos seguintes: “Girls Just Want to Have Fun”, de Cyndi Lauper. A música foi lançada no álbum de estreia da cantora americana, “She’s So Unusual”, e permanece até hoje como seu maior sucesso.

A temática feminista não surgiu por acidente. “Girls Just Want to Have Fun” foi composta pelo cantor punk Robert Hazard em 1979 e Lauper, com permissão do autor, mudou a letra em sua versão. Originalmente, a canção apresentava uma análise masculina da questão. Porém, a artista sentiu que precisava do ponto de vista feminino, como ela própria contou em entrevista ao Yahoo! Entertainment.

“Eu tinha uma visão diferente, é óbvio. Ele é homem, não iria escrever o que uma mulher cantaria sobre isso. Eu estava preocupada com a forma ocmo isso seria feito e ele disse: ‘bem, pensei no que isso poderia significar’. Então as partes que eram muito masculinas e não pertenciam ao que eu queria dizer foram cortadas.”

Ouça abaixo versão original de Robert Hazard.

O divertido videoclipe

Dessa forma, Cyndi Lauper moldou a composição original para que se tornasse um hino feminista. Caiu como uma bomba na indústria fonográfica da época, mas o sucesso era impossível de se conter.

Sucesso esse que se deve, também, ao vídeo da música, exaustivamente mostrado na MTV na época. Cyndi relembra:

“Eu não sabia que seria tão bem recebido, é claro, mas eu realmente queria que toda mulher ouvisse aquela música e pensasse sobre seu poder. Também por isso foi tão importante ter mulheres de toda as cores naquele vídeo, então cara pequena garotinha, não importa de onde, pode se ver naquele vídeo.”

Dirigido por Edd Griles, o clipe de “Girls Just Want to Have Fun” é um marco nos vídeos musicais. Os envolvidos precisaram driblar o orçamento de apenas US$ 35 mil – muito baixo para uma produção audiovisual na época. Uma medida adotada, por exemplo, foi a de convidar amigos e parentes para o elenco da produção.

A própria mãe da cantora, Catrine Lauper, interpretou o papel da vida real na ficção. O papel do pai, por sua vez, ficou com o wrestler Lou Albano.

Cyndi relembra:

“Sim, em todos os meus vídeos você vê que eu arrastei meus amigos e família comigo, por dois motivos. Um, eu estava trabalhando tanto que o único tempo que eu teria para vê-los seria se os trouxesse para trabalhar comigo, e dois, minha verba para vídeos nunca foi tão alta – e meus amigos cobram barato! Tudo o que eu preciso fazer é pagar o jantar!”

O sucesso e a causa feminista

Não demorou muito até que “Girls Just Want to Have Fun” se tornasse o grande hit da carreira de Cyndi Lauper e talvez uma das músicas mais lembradas do pop da década de 1980. O single chegou ao top 10 das paradas de 25 países, incluindo o Brasil, e alavancou as vendas do álbum “She’s So Unusual”, que teve mais de 16 milhões de cópias comercializadas mundialmente.

O sucesso foi mantido a longo prazo, visto que o videoclipe oficial é um dos poucos do século 20 a ter atingido um bilhão de visualizações no YouTube, e o objetivo de ter uma mensagem relevante na letra também foi conquistado. “Girls Just Want to Have Fun” é usada frequentemente em protestos e manifestações de cunho feminista – algo apoiado pela cantora, que lançou até camisetas e itens de merchandising cujas vendas ajudam instituições de apoio a mulheres.

Em 2017 e 2018, Cyndi participou da Marcha das Mulheres, abraçando também o slogan “Girls Just Want to Have Fun – Fundamental Rights” (“Garotas só querem ter direitos fundamentais”, em um trocadilho com o título da canção). Lauper falou sobre a experiência em entrevista ao site da organização True Colors Fund.

“Quando marchei pelas ruas de Nova York em meio a uma bela união de pessoas de todos os sexos, raças, religiões, orientações sexuais, identidades de gênero e nacionalidades, fiquei impressionada ao ver tantas pessoas abraçarem a mensagem ‘Girls Just Want to Have Fundamental Rights’ em suas placas feitas a mão. Ver esse hino continuar a empoderar tantas pessoas a falarem e se envolverem, me inspirou a encontrar novas formas de continuar espalhando essa mensagem poderosa de igualdade e justiça para todos.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

1 comentário
  1. Gosto muito da Cyndi Lauper e seus clássicos…fez parte da minha infância, lembro!!!! Filme dos Goonies, Aquele seriado do Super Mario que tinha o desenho também…ela fez uma participação ali e dos clipes marcantes!!!!Ótimas baladas e ótimas músicas, valeu!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
211
Share