Por que estar em uma banda não é coisa de gente crescida, segundo Sting

“Uma banda é como uma gangue de jovens. Não dá para crescer musicalmente trabalhando no formato”, diz o vocalista e baixista que se consagrou com o The Police

Sting declarou estar em outro momento da vida e carreira artística em entrevista à Mojo Magazine. A ponto de não pensar em reunir novamente o The Police ou participar de qualquer outra banda.

A fala, transcrita pelo Tone Deaf, foi uma resposta quando o cantor foi perguntado se teria voltado ao antigo grupo caso sua carreira solo tivesse falhado.

“Uma banda é como uma gangue de jovens. Não acho que seja lugar para um homem crescido. Não dá para crescer musicalmente trabalhando no formato. Você precisa obedecer regras e gerir crises. Por mais que eu ame o AC/DC e os Rolling Stones, não dá para dizer que eles evoluíram. Em minha concepção, a banda é um veículo para as músicas, não o contrário. A obra é o mais importante.

Então, eu teria reagrupado o The Police? Sinceramente, espero que não. Os outros caras também partiram para carreiras distantes do grupo. Era um direito de todos. Por sorte, consegui hits solo. Não faço ideia do que teria acontecido caso contrário.”

- Advertisement -

Sting, The Police e solo

Nascido em Wallsend, Inglaterra, Gordon Matthew Thomas Summer começou a carreira musical tocando jazz, atividade que conciliava com a de professor infantil.

Leia também:  Humberto Gessinger confirma turnê baseada no “Acústico MTV” do Engenheiros do Hawaii

Em 1977 participou da criação do The Police, trio que teria suma importância no direcionamento da música pop das seguintes décadas. Com mais de 75 milhões de álbuns comercializados, o grupo se separou em menos de uma década, suficiente para fazer história. Ao contrário do protocolar, apenas uma turnê de reunião ocorreu, em 2007.

A seguir, Sting passou a priorizar a carreira solo que já havia dado os primeiros passos no período da banda. Transitou por vários estilos, do popular ao erudito, tendo vendido mais de 100 milhões de discos até hoje.

Sua carreira ainda inclui parcerias com Dire Straits, Phil Collins, Miles Davis, Frnk Zappa, Julio Iglesias, Tina Turner, Bryan Adams e Shaggy, entre outras dezenas.

https://www.youtube.com/watch?v=KLVq0IAzh1A

Ativista em prol dos direitos humanos, é atuante em causas sociais com a Anistia Internacional desde os anos 1980. Entre suas principais bandeiras está a defesa da Floresta Amazônica e dos povos indígenas brasileiros por meio do Rainforest Foundation Fund.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que estar em uma banda não é coisa de gente crescida,...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades