Notícias

Rita Lee diz que pode gravar novo disco e revela por que se aposentou



A cantora Rita Lee concedeu uma entrevista ao programa ‘Fantástico’, da TV Globo, em que fala sobre sua vida distante dos palcos. Ela se aposentou da música em 2013 e, desde então, mudou-se com o marido, Roberto de Carvalho, para um sítio na Grande São Paulo, onde vive rodeada pela natureza e por seus animais de estimação.

“Envelhecer, para mim, foi uma surpresa, pois nunca fui velha na vida”, disse ela, inicialmente, aos risos. “Fiquei com vontade de viver minha velhice afastada dos palcos, sem dividir isso com o público”, completou.

Em seguida, Rita comentou que o aspecto físico relacionado aos seus shows contribuiu para sua aposentadoria. A cantora se retirou dos palcos de forma considerada até precoce, já que, na época, tinha entre 65 e 66 anos, enquanto outros astros do rock seguem performando ao vivo mesmo após essa idade.

– Leia também: 10 mulheres que foram pioneiras no rock, apesar de muitos não reconhecerem

“Meu jeito de me expressar no palco não tinha limites físicos. Eu virava de ponta-cabeça, caía no chão, mostrava a bunda, fazia palhaçada… estando velha, o corpo não me permite fazer o que eu fazia”, disse.

Apesar disso, Rita Lee declarou estar muito feliz com sua fase atual da vida. “A cabeça fica ótima. É uma fase de feitiçaria feminina. Acendo incensos, rezo, benzo a casa, perfumo… tenho minhas feitiçarias que me inspiram a vontade de continuar vivendo, apesar dessa loucura toda que acontece no mundo”, afirmou.

– Leia também: Rita Lee detona ex-colegas dos Mutantes em biografia

O afastamento dos palcos não deixou Rita improdutiva em termos artísticos. Além de ter lançado livros, como sua autobiografia e obras destinadas ao público infantil, ela contou que segue cantando, sempre ao lado de Roberto de Carvalho, que não é só seu marido – também é seu parceiro musical de longa data.

Diante disso, Rita Lee destacou que pode lançar um novo álbum de estúdio. “Roberto faz músicas, toca, e eu faço letras. De repente, se a preguiça deixar, a gente até grava um disco novo”, disse ela. O último trabalho de inéditas da cantora é ‘Reza’, de 2012.

Ainda durante o bate-papo, a cantora apontou que nunca se sentiu feminista, mesmo rompendo uma série de barreiras para mulheres que surgiram depois dela. “Sabe que nunca me senti feminista? Nos anos 60, onde rock era coisa de menino, de homem, tinha até um bordão: ‘para fazer rock and roll, tem que ter culhão’. Eu dizia: ah é? Então, vou fazer com meus ovários e meu útero”, afirmou.

A entrevista pode ser conferida, na íntegra, no site do ‘Fantástico‘. A foto da matéria é de Guilherme Samora.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *