Fotos: divulgação

Como foi o teste de Bruce Dickinson para o Iron Maiden

Em entrevista à RTBF, com transcrição do Blabbermouth, o vocalista Bruce Dickinson relembrou como foi o seu primeiro ensaio com o Iron Maiden. Ele, que havia deixado o Samson para aceitar o convite, se juntou à banda em 1981, na vaga de Paul Di’Anno.

Dickinson contou que a adaptação não foi complicada, mas uma situação deixou o clima um pouco estranho. “Quando entrei, lembro de ir ensaiar no primeiro dia, quando fiz o teste – foi em um estúdio para ensaios. O antigo vocalista ainda estava com eles, havia dois shows para fazer. Pensei: ‘a atmosfera será um pouco estranha’. Obviamente, ele não sabia, mas todos sabiam que ele seria demitido. Eu não estava confortável com isso. Minha credencial da união dos vocalistas… (risos)”, afirmou.

– O boicote que o Iron Maiden sofreu por “The Number Of The Beast”

Apesar disso, o entrosamento musical foi instantâneo. “Steve (Harris, baixista) não apareceu até mais tarde. Eu fui e conheci Clive (Burr, baterista), Dave (Murray, guitarrista) e Adrian (Smith, guitarrista). Começamos a tocar músicas antigas do Deep Purple, que todos conhecíamos. Depois, tocamos outras mais. Descobrimos que curtíamos as mesmas músicas, a atmosfera foi fantástica”, disse.

Quando Steve Harris apareceu, segundo Bruce Dickinson, a banda decidiu pedir para que ele aprendesse quatro músicas de seus álbuns – eram apenas dois na época. “Aprendi todas as músicas e disse: ‘quais músicas vocês querem tocar?’. Tocamos praticamente os dois álbuns na íntegra e Steve disse: ‘uau, quando podemos começar?’. Não houve problema algum”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
0
Share