Novo disco do Ghost tem referências à ação judicial movida por ex-membros

O vocalista Tobias Forge disse, em entrevista à NME, que há referências sobre a disputa judicial entre ele e quatro ex-integrantes do Ghost no novo álbum da banda, “Prequelle”. O disco será lançado no próximo dia 1° de junho.

“Um ano depois, tendo passado por tantas turbulências, percebi que o que aconteceu, precisava acontecer. Além disso, sou um grande fã da história do rock e li todas as biografias de classic rock de todas as bandas das quais sou fã. E sabe, a mesma m*rda acontece em cada uma delas”, afirmou Forge.

- Advertisement -

Tobias Forge levaria netos para show do Kiss sem membros originais

O cantor destacou que ouviu de um amigo compositor: “você não está realmente no jogo até ser processado, por isso, seja bem-vindo”. “Acho que ele tem razão. Eu tenho passado por muitas situações em que consegui transformar a dor em ‘dores de crescimento’. Realmente, o que aconteceu foi um comprovante de que as coisas estão indo bem. Está bem. Isso vai acabar”, disse.

Leia também:  Documentário de Bruce Springsteen é anunciado pelo Disney+

Uma das músicas inspiradas pela ação judicial foi “See The Light”, que tem versos como “A rat I’ve befriended” (algo como “um rato com o qual eu fiz amizade”) e “Of all of the demons I’ve known, none can compare to you” (“De todos os demônios que eu conheço, nenhum pode se comparar a você”). “Acho que é uma música que pode ser aplicada a qualquer situação em que você está cercado por inimigos. Realmente, é sobre como redistribuir a raiva e a negatividade”, afirmou.

Por sua vez, o primeiro single de “Prequelle”, “Rats”, é influenciado não só pela batalha judicial, como também pelas opiniões do público nas redes sociais. “Embora seja defensor da cultura de denúncias na era moderna, não tenho certeza se é o fórum para isso. Todas essas pessoas apenas gritando… com opiniões baseadas não em fatos, mas em rancor. Há pessoas que adoram destruir os outros”, disse.

Leia também:  Bruno Mars ganha mais shows no Brasil; datas no Rio e em Brasília são alteradas

O quarteto de músicos formado por Simon Söderberg, Mauro Rubino, Henrik Palm e Martin Hjertstedt deixou o Ghost em 2016 e, pouco tempo depois, acusou judicialmente Tobias Forge de tomar posse do controle do grupo, incluindo direitos e finanças que deveriam ser compartilhadas – em vez disso, eles recebiam salários fixos. Tobias Forge, por sua vez, alega que a banda era um projeto solo dele. O caso ainda está em trâmite na justiça, já que não houve acordo extrajudicial.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasNovo disco do Ghost tem referências à ação judicial movida por ex-membros
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades