“Titãs Encontro” é caso isolado de shows viáveis em estádios? Músicos respondem

Turnê de reunião dos membros remanescentes da formação clássica foi um sucesso estrondoso

O sucesso da turnê Titãs Encontro” gerou um clima de otimismo no mercado que acabou não se confirmando com iniciativas posteriores. O reencontro dos remanescentes da formação clássica da banda lotou estádios em todo o país. Porém, ações semelhantes envolvendo nomes como Ivete Sangalo e Ludmilla acabaram sendo canceladas após terem se transformado em fracassos de vendas.

Durante entrevista a Felipe Branco Cruz para a revista Veja, publicada no YouTube, os integrantes do grupo paulista foram questionados se a excursão que protagonizaram teria sido um caso isolado ou enxergam a possibilidade de o fenômeno se repetir com o protagonismo de outros artistas nacionais.

- Advertisement -

O guitarrista Tony Bellotto disse, conforme nossa transcrição:

“O que chamou a atenção nessa turnê foi o fato inédito de termos conseguido reunir os ex-integrantes. Então, as pessoas perceberam que era algo raro, não ia acontecer toda semana.”

A seguir, o músico mencionou outra reunião que rendeu o mesmo impacto por conta de fator semelhante, a de Sandy e Júnior.

“As pessoas perceberam que eles se reencontraram para fazer a turnê e acabou. Claro que a força da nossa música conta, mas foi muito pelo fato de reunirmos os ex-integrantes.”

A capacidade das bandas brasileiras

O tecladista e vocalista Sérgio Britto arrematou mencionando a maior facilidade de bandas estrangeiras lotarem estádios.

“Óbvio que há a questão do mercado, de onde eles vêm, parece que descem aqui de disco voador. E fica a impressão de que nós, brasileiros, não somos capazes disso. Então, nesse sentido, foi bom o que aconteceu com a gente para mostrar que talvez a questão seja outra.”

Leia também:  Após 34 anos, Bikini Kill faz sua primeira apresentação na TV

Foi mencionado o exemplo de um artista que sempre lota estádios no Brasil – e está voltando em breve para mais uma visita bem-sucedida.

“O Paul McCartney vem de dois em dois ou quatro em quatro anos. Isso cria uma carência do público. Nós, o Jota Quest, os Paralamas fazemos cem shows, passamos por todas as capitais praticamente todo ano. Então, obviamente, se for fazer show de estádio, não tem a mesma expectativa. Isso de ter uma pausa, esperar, criar uma carência, é importante para tocar em arenas tão grande. Senão tem tudo para não dar certo.”

Titãs e a turnê “Encontro”

Em abril de 2023, o Titãs deu início à turnê “Encontro”. Responsável por reunir a formação clássica da banda — com os retornos especiais de Arnaldo Antunes, Paulo Miklos, Nando Reis e Charles Gavin —, a série de shows passou não só pelo Brasil, como também Estados Unidos e Portugal.

Devido ao sucesso, ganhou mais datas do que o planejado. Só em São Paulo, foram seis apresentações no estádio Allianz Parque. A despedida com os sete integrantes aconteceu durante o festival Lollapalooza Brasil, também na capital paulista, no fim do último mês de março.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotícias“Titãs Encontro” é caso isolado de shows viáveis em estádios? Músicos respondem
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades