Pais de Greyson Nekrutman se reuniram com Sepultura antes de liberá-lo para turnê

Revelação foi feita pelo guitarrista Andreas Kisser, que elogiou a atitude da família do músico

Quando o baterista Greyson Nekrutman nasceu, em 13 de junho de 2002, o Sepultura promovia o álbum “Nation”, lançado no ano anterior. Ou seja, sua existência não contempla o período mais bem-sucedido comercialmente da banda da qual faz parte atualmente.

Não é exatamente uma novidade em se tratando de grupos clássicos e músicos. De certa forma, injetar “sangue novo” tem sido uma prática para manter a energia em alta – especialmente na bateria ou vocal, que demandam maiores sacrifícios físicos. A situação também acaba gerando alguns choques culturais.

- Advertisement -

Durante entrevista ao Music Thunder Vision, podcast do icônico VJ e apresentador Luiz Thunderbird, o guitarrista Andreas Kisser contou um fato pitoresco do ingresso do instrumentista na formação. Para tê-lo na vaga de Eloy Casagrande, foi preciso ter uma conversa com os pais.

Ele relata, conforme transcrição do Whiplash:

“Liguei para ele no dia seguinte que o Eloy disse que ia sair e falei o que aconteceu, que estávamos precisando e pensando nele. Ele disse: ‘Pô, curti para caramba, mas preciso falar com meu pai e com minha mãe’. O cara tinha 21 anos, né? Eu falei: ‘Beleza’. No dia seguinte, armamos uma ligação com o pai, a mãe, ele, nossos empresários, e tudo mais. Eles fizeram várias perguntas.”

Ao contrário do que alguns podem imaginar, a atitude deixou uma impressão positiva para a banda.

“Foi sensacional, cara. Que legal uma família assim, exemplar. Ele tem 21 anos, agora 22, muito jovem. O pai dele, que não é do business, mas toma conta do filho, perguntou sobre a segurança, como seriam as viagens, quantos shows no ano, seguro de saúde, enfim, perguntas pertinentes. Em poucas horas, resolvemos tudo. Em 48 horas, depois que o outro anunciou a saída, o Greyson estava fechado e daí ele mergulhou no repertório.”

Foto: Yndi Nunes @yndinunesfoto

Sepultura e Greyson Nekrutman

Nascido em Long Island, Nova York, Estados Unidos, Greyson Nekrutman começou a tocar bateria aos 4 anos de idade. Além do rock, teve influências de jazz e música latina em sua formação, além de baterista de big bands, formato com o qual chegou a se apresentar no começo da carreira.

Leia também:  Tommy Lee posta montagem obscena como piada a atentado contra Trump e divide opiniões

Além do Sepultura, fez parte do Suicidal Tendencies nos últimos dois anos – sendo substituído por Jay Weinberg, a quem Eloy Casagrande substituiu no Slipknot, gerando um “triângulo perfeito” de mudanças. Também participou da gravação do álbum ao vivo em estúdio “11.12.21 Live-In-Studio Nashville”, de William DuVall, frontman do Alice in Chains.

A banda brasileira segue na turnê “Celebrating Life Through Death”, que marca o encerramento de suas atividades. Além das datas de uma segunda etapa no Brasil sendo cumpridas no momento, América do Norte e Europa receberão o giro ainda em 2024.

Músicos mais novos do que as bandas em que tocam (ou tocaram)

Eis alguns outros exemplos de músicos mais novos que participam de bandas mais velhas que suas existências. Vamos nos ater a grupos, já que artistas solo são adeptos dessa prática com muito mais frequência.

Tommy Clufetos: Baterista das últimas turnês e registros ao vivo do Black Sabbath. Nasceu em 1979, quando a formação original se quebrou, com a saída de Ozzy Osbourne após oito discos.

Richie Faulkner: O guitarrista nasceu em 1980, ano em que o Judas Priest lançaria seu sexto álbum de estúdio, “British Steel”.

Adam Lambert: Convidado especial de Brian May e Roger Taylor, nasceu em 1982, ano em que o Queen lançou o controverso “Hot Space”, seu décimo álbum de estúdio.

Parker Lundgren: Guitarrista do Queensrÿche entre 2008 e 2021, nasceu em 1986, quando a banda lançou “Rage For Order”, seu segundo trabalho completo.

Tye Trujillo: Filho do também baixista Robert Trujillo (Metallica), nasceu em 2004, quando o Suicidal Tendencies – banda da qual seu pai fez parte entre 1989 e 1995 – já tinha dez álbuns de estúdio. Assumiu a função em 2021.

Eloy Casagrande: O baterista nasceu em 1991, ano em que o Sepultura lançaria seu quarto disco, “Arise”. Participaria das atividades de 2011 até recentemente, quando saiu para ingressar no Slipknot.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPais de Greyson Nekrutman se reuniram com Sepultura antes de liberá-lo para...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades