Noel Gallagher critica artistas “woke” se manifestando politicamente no Glastonbury

Ex-Oasis é adepto da ideia de que músicos não deveriam se envolver em questões além de sua arte

Na temporada 2024 de festivais, uma série de movimentos envolvendo artistas foram tão protagonistas quanto os shows. O mais famoso envolveu o protesto contra eventos que contavam com patrocínio do Barclays, banco que financia uma série de empresas que investe em armas e tecnologia para o exército de Israel.

Noel Gallagher não é adepto da ideia. Em entrevista ao jornal The Sun, o eterno ex-Oasis até mencionou um festival em específico, o Glastonbury. Para o irmão de Liam, os músicos não deveriam opinar em relação a esse tipo de assunto.

- Advertisement -

Ele disse, conforme repercussão do Consequence:

“Estou cansado dessa cultura, com idiotas acenando bandeiras e fazendo declarações políticas. Não me entenda errado, eu amo o Glastonbury. Mas está ficando ‘woke’ demais, com sermões e tentativas de sinalização de virtude. Não gosto disso na música… bandas subindo no palco e dizendo, ‘Ei, pessoal, a guerra não é terrível, hein? Vamos todos vaiar a guerra. F*da-se os conservadores, cara’, e tudo isso… É tipo, olha — toque suas músicas e saia do palco.”

Apesar de não ter tocado na edição deste ano, Noel foi visto curtindo várias apresentações do Glastonbury.

“Doe todo o seu dinheiro e pare de tagarelar”

O guitarrista, vocalista e compositor prefere que os engajados tomem mais atitudes ao invés de apenas discursar.

“Doe todo o seu dinheiro para a causa em que acredita e pare de tagarelar. Vamos apenas supor, por exemplo, que o mundo realmente esteja com problemas e vocês estão todos no Glastonbury. Qual é o problema com isso? Eu não tenho problema com isso… Acho que se você tem 18 anos e é de classe média, pode ter um problema com isso… mas o que todas as crianças em um campo em Glastonbury vão fazer sobre isso?”

Leia também:  A guitarrista de hard rock que tem feito turnês durante a gravidez

Apesar das discordâncias, Noel enfatiza a importância do evento para a cultura pop local.

“É uma das festas mais importantes que temos. Na verdade, considero o que temos de melhor na cultura britânica depois da Premier League (o campeonato inglês de futebol).”

O engajamento do Glastonbury

A despeito do que Gallagher pensa, o Glastonbury Festival possui uma longa história de ativismo político. A edição deste ano não foi diferente. O Idles colaborou com a Banksy na compra de botes infláveis ​​para migrantes.

PJ Harvey trouxe a artista performática Marina Abramović, que fez a multidão agitada manter sete minutos de silêncio coletivo. Em outro momento, o antigo rival do Oasis, Damon Albarn (Blur, Gorillaz), se juntou ao Bombay Bicycle Club para expressar seu apoio à Palestina.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasNoel Gallagher critica artistas “woke” se manifestando politicamente no Glastonbury
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades