Scott Weiland não morreu de overdose, segundo viúva

Artéria do coração do cantor estava 95% bloqueada, mas Jamie Weiland disse que presença vestigial de drogas forçou a mão do legista

Quase uma década desde a morte de Scott Weiland, as feridas continuam abertas para sua família. Especialmente no que diz respeito à percepção pública da causa.

Jamie Wachtel Weiland, viúva do vocalista, concedeu recente entrevista ao podcast Appetite for Distortion (transcrição via Blabbermouth). Durante a ocasião, aproveitou para esclarecer certos detalhes nesse sentido.

- Advertisement -

Weiland foi encontrado morto no seu ônibus de turnê em 3 de dezembro de 2015. Durante a perícia, foram encontrados cocaína e maconha no local, além de vários remédios controlados – ansiolíticos, antipsicóticos, medicamentos para tratamento de vício em opióides, e Viagra.

O parecer do legista apontou uma possível overdose acidental de álcool, cocaína e MDA, encontrados no sistema dele. Segundo Jamie Weiland, contudo, a verdade é mais complicada. Ela disse:

“Eu sinto que quando ele morreu, todo mundo achou uma tragédia, mas que era óbvio ter sido uma overdose. Mas não foi uma overdose, algo que tento falar pra todo mundo. Ele não teve uma overdose. O legista precisou dizer por protocolo ter sido uma overdose devido a presença de drogas no sistema dele. Mas a verdade é que Scott morreu porque a principal artéria do seu ventrículo esquerdo estava 95% bloqueada.”

A fotógrafa detalhou como os hábitos do marido contribuíram para isso:

“Isso veio de 10 anos de vício em heroína, de uma vida adulta inteira fumando muito. O coração dele parou. Ele tinha quantidades vestigiais de drogas no sistema? Tinha. Eu sabia que ele estava usando? Não, eu não sabia, porque ele mentiu pra mim, porque quando flagrava ele anteriormente sempre acabava numa briga enorme e ficava furiosa com ele. Estar usando essas coisas, e ainda mentir pra mim sobre isso…”

Leia também:  As duas únicas bandas de rock entre as 10 turnês mais rentáveis de 2024

Jamie ainda reservou algumas palavras gentis para o legista responsável pela autópsia, antes de reiterar a causa verdadeira da morte de Scott:

“Eu lembro de conversar com o legista em Minnesota quando tudo aconteceu e falar: ‘Como que ele pode mentir pra mim sobre isso de novo?’ E o legista foi tão gentil. Ele falou: ‘Eu acho que ele talvez não quisesse te decepcionar’. Mas, sim, eu quero esclarecer que não foi uma overdose – não foi. Ele não estava usando heroína. Ele não teve uma overdose de drogas. O coração dele parou porque passou por tanto abuso de drogas, bebedeira e cigarros.”

Sobre Scott Weiland

Scott Weiland marcou época a frente do Stone Temple Pilots, tendo participado também do supergrupo Velvet Revolver, ao lado de ex-membros do Guns N’ Roses. Em 2008, ele retornou ao STP, sendo demitido em 2013 devido ao comportamento complicado por conta dos vícios.

O vocalista morreu em 3 de dezembro de 2015, aos 48 anos, após um ataque cardíaco causado por uma combinação fatal de cocaína, ecstasy e álcool. Ele foi encontrado sem vida no ônibus de turnê de seu projeto solo, Wildabouts, em Minnesota, nos Estados Unidos.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasScott Weiland não morreu de overdose, segundo viúva
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades