O valor máximo que o público topa pagar por show, segundo pesquisa da Serasa

Mais da metade dos entrevistados declarou que costuma assistir ao menos um evento do tipo por ano

A Serasa Experian, subsidiária de análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios, realizou uma pesquisa em parceria com o instituto Opinion Box. O objetivo foi analisar as práticas e costumes do público que frequenta shows no Brasil. Para tal, 1.398 pessoas foram ouvidas.

O resultado do estudo foi publicado em primeira mão pelo Uol Splash. O primeiro número que se destaca indica que 62% dos ouvidos declararam que costumam ir ao menos em um evento musical por ano em se tratando de artistas nacionais.

- Advertisement -

Além disso, 7 em cada 10 afirmam que o maior valor pago por um ingresso ficou na casa dos R$ 300. A mesma proporção disse que não desembolsaria mais que isso para marcar presença, tendo em vista as limitações orçamentárias.

Alimentação, viagens e planejamento

Outros custos relacionados à experiência também foram apurados. Constatou-se que o público gasta, em média, R$ 200 em alimentação e bebidas a cada saída para concertos. Quando a apresentação acontece em uma cidade distante, ainda há a despesa com hospedagem e combustível. Nesses casos, o valor sobe para até R$ 1.000 por indivíduo.

Mais um ponto abordado foi o planejamento. 56% dos consultados confirmaram se programar financeiramente para aproveitar shows e festivais, com 27% se organizando para atrações internacionais. Desses, 46% poupam ou investem dinheiro tendo os eventos como meta. Ainda assim, 6 entre 10 compram entradas apenas em torno de um mês antes.

Leia também:  Banda cover de Slipknot anuncia novo visual de baterista: “Eloy Kitnet”

A maior parte prefere negociar o pagamento no cartão de crédito e busca opções de parcelamento sem juros. 59% parcelam apenas se encontram opções sem juros nas plataformas de venda. A seguir na preferência, vem a modalidade de transferência via Pix.

Clara Aguiar, especialista em educação financeira da Serasa, disse à reportagem original:

“O parcelamento pode ser uma boa ferramenta de organização financeira se adotado com planejamento e consciência. Para evitar aquela bola de neve ao se enrolar com as várias parcelas, o consumidor pode utilizar uma planilha para anotar todos os gastos – com shows e outros segmentos – e organizar os valores ao longo dos meses.”

Shows e vendas de ingressos

Apesar das limitações, grandes eventos seguem tendo uma procura gigantesca, mesmo com preços elevados para os padrões populares. Um exemplo é o Rock in Rio, cuja edição 2024 teve ingressos esgotados na pré-venda para as sete noites.

Ainda assim, algumas turnês de estádios programadas para recentemente foram canceladas por baixas vendas, como as de Ivete Sangalo e Ludmilla. Uma análise minuciosa feita pela Billboard Brasil, com fontes internas ouvidas, pode ser conferida clicando aqui.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasO valor máximo que o público topa pagar por show, segundo pesquisa...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades