Steve Morse mantém contato com ex-colegas de Deep Purple? Ele responde

Guitarrista deixou a banda em julho de 2022 para cuidar da esposa, que enfrentava um câncer em estágio 4

Steve Morse deixou oficialmente o Deep Purple há quase dois anos — mais especificamente, em julho de 2022. À época, o guitarrista anunciou que se afastaria da banda para cuidar da esposa, Janine, que enfrentava um câncer em estágio 4. Em fevereiro último, ela faleceu

Primeiro, a decisão, anunciada em março daquele ano, seria temporária. Acabou por se tornar definitiva, com Simon McBride assumindo a função. Desde então, o músico não participou de qualquer compromisso envolvendo o antigo grupo – o qual passou a integrar em 1994. Apenas realizou shows com o seu projeto solo e ao lado do Dixie Dregs.

- Advertisement -

Ele garante que está tudo bem e resolvido, mantendo, inclusive, contato com alguns dos ex-colegas. O assunto surgiu durante entrevista à Ultimate Guitar

Primeiramente, o instrumentista recapitulou como a saída ocorreu. Tudo começou quando, durante uma viagem para a Alemanha com o Deep Purple, descobriu que a esposa estava doente mais uma vez. Diante do histórico, encarou a situação com estranheza e optou por ajudá-la e levá-la ao médico — ficando ausente por certo período. 

Ele declarou:

“Saí da banda porque descobri que minha esposa estava sofrendo com alguma doença desconhecida que tinha voltado depois que já tínhamos passado uma semana no hospital. Eu estava na Alemanha com os caras compondo algumas coisas novas quando recebi a notícia e ela estava realmente preocupada. A situação não soava bem. Aí eu falei: ‘Desculpa gente, eu tenho que ir. Isso aqui não é uma turnê de verdade, é uma sessão de composição, e eu sei que algo está acontecendo’. Então, eles ficaram vários dias sem mim enquanto eu levava minha esposa para inúmeros hospitais diferentes. [Os médicos] finalmente descobriram o que ela tinha depois de fazer uma cirurgia. Então, eles tiveram todo esse tempo para sentar e pensar: ‘bem, esse cara vai voltar?’ ou ‘o que vai acontecer?’.”

Demorou um tempo até que descobrissem o diagnóstico de câncer. Assim, quando relatou a gravidade aos companheiros, afirmou que não conseguiria participar de turnês mais longas. O ímpeto dos integrantes foi, então, achar alguém que pudesse dar conta do recado naquele momento e seguir em frente — o que, na opinião de Steve, é compreensível. 

Leia também:  Ed Sheeran participa de show do Offspring no Bottlerock Festival

“Quando eu disse que era câncer e que não conseguiria fazer turnês longas, acho que eles pensaram: ‘bem… vamos encontrar alguém que consiga, estamos envelhecendo e o tempo está passando’. Então, isso é compreensível. A forma como aconteceu foi meio esquisita. Mas enfim, eu entendo que a vida continua para todo mundo… eles não teriam ficado muito surpresos se eu tivesse dito: ‘não, não vou voltar’. Só não consegui dizer, porque tinha uma sensação dentro de mim de que o problema era sério.”

Não há ressentimentos, segundo o próprio. Ele continua tendo uma boa relação com o baixista Roger Glover e, nos últimos tempos, trocou emails amigáveis com outros ex-colegas não especificados, além de McBride.

“De qualquer maneira, estou de boa com Roger [Glover] e troquei e-mails agradáveis, saudações e condolências com alguns dos outros caras e Simon.”

Opinião sobre Simon McBride

Anteriormente, em entrevista ao canal do site Sea of Tranquility no YouTube, Steve Morse refletiu sobre como as coisas estão atualmente. Não só demostrou nenhum arrependimento pela decisão que tomou de sair do Deep Purple, como também elogiou seu substituto:

Leia também:  O que Steve Vai mais admira em Ritchie Blackmore como guitarrista

“A situação aconteceu do jeito que aconteceu e, analisando, acho que estou em uma posição musical que me cabe. E eu acho que Simon se adaptou melhor ao Deep Purple do que eu, no que diz respeito a… Eles estão produzindo shows. E eu sempre fui o cara que dizia: ‘Esta é uma turnê muito longa. Chega um ponto em que surge o cansaço da turnê. Poderíamos fazer etapas mais curtas’. E ninguém queria ouvir isso, especialmente a administração.”

Sobre Steve Morse

Nascido em Hamilton, Ohio, Estados Unidos, Steve Morse despontou na cena como membro fundador do Dixie Dregs, banda referencial na fusão de rock com jazz. Nos anos 1980, formou a Steve Morse Band e também integrou o Kansas.

Entrou no Deep Purple em 1994, após ter trabalhado como piloto de avião em linhas comerciais. Substituiu Ritchie Blackmore, após uma breve passagem de Joe Satriani como membro temporário.

Desde 2012 faz parte do supergrupo Flying Colors, que também conta com Neal Morse, Dave LaRue, Casey McPherson e Mike Portnoy.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasSteve Morse mantém contato com ex-colegas de Deep Purple? Ele responde
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades