Eloy Casagrande saiu do Sepultura de um jeito “esquisito”, diz Andreas Kisser

Guitarrista reconheceu que baterista poderia receber outra proposta, mas ressaltou que rompimento ocorreu semanas antes de turnê de despedida começar

Ao anunciar a saída de Eloy Casagrande, o Sepultura deixou claro já no comunicado que a situação não ocorreu da melhor forma possível. O texto assinado pela banda afirma que o baterista se desvinculou “de surpresa e sem aviso prévio”, às vésperas do início da turnê de despedida “Celebrating Life Through Death”.

­

- Advertisement -

Na ocasião, os remanescentes — o vocalista Derrick Green, o guitarrista Andreas Kisser e o baixista Paulo Xisto — apontaram que Casagrande se desligou no dia 6 de fevereiro, menos de um mês antes do primeiro show da tour, “para seguir carreira em outro projeto”. Nas palavras da própria banda, a excursão, planejada para durar 18 meses, já estava “pronta” quando foi preciso ir atrás de outro baterista. A vaga ficou com o americano Greyson Nekrutman (Suicidal Tendencies).

O incômodo foi confirmado por Kisser em nova entrevista, ao programa “Conectados”, da rádio Transamérica. Conforme transcrito por Mateus Ribeiro para o Whiplash, o guitarrista respondeu que “sempre é treta” quando perguntado se a separação ocorreu de forma problemática ou não.

Em seguida, o músico declarou não saber se o agora ex-colega irá realmente entrar para o Slipknot“o que ele passou para a gente foi que ele tava se desvinculando da banda pra se dedicar a outro projeto” — e desabafou sobre a situação. Ele disse:

“Já sabíamos que o Eloy é um músico fenomenal, provavelmente o melhor batera da cena. Você vê bateras veteranos ficarem impressionados ao vê-lo tocar. Ele tem uma técnica realmente fantástica. A gente sabia que poderia ter essa possibilidade dele ter outra proposta, outra possibilidade de fazer. Mas foi muito esquisito o jeito que ele escolheu pra fazer as coisas.”

À época, de acordo com o guitarrista, eram definidos os últimos detalhes para a realização da “Celebrating Life Through Death”. Kisser comentou:

“A gente estava organizando (a turnê). Dois dias antes de ele nos dar a notícia, estávamos organizando o setlist, fazendo a coisa do telão, os detalhes, como é que vai ser, vai funcionar, que música que vai tocar, o que vai botar de visual, etc. E de repente, ele resolveu fazer isso.”

Eloy Casagrande (foto: Gustavo Diakov @xchixanox)

Sem julgamentos a Eloy Casagrande

Por outro lado, o guitarrista reconhece que o baterista “já estava organizando um processo há algum tempo”. Então, “resolveu falar naquele momento”.

Leia também:  Exclusivo: Sharon den Adel fala sobre Within Temptation “politico”, peso e Brasil

“Não vou julgar, porque não vem ao caso. Já anunciamos que ele saiu. E ele que vai anunciar o que ele vai fazer. É responsabilidade dele. Mas estamos com um baterista fenomenal — mais um.”

Greyson Nekrutman (foto: Vanessa Leão @vanessaleaoph)

Os comunicados de Sepultura, Eloy e Greyson Nekrutman

Leia, abaixo, a íntegra da nota à imprensa em que o Sepultura anunciou a saída de Eloy Casagrande.

“Depois de 2 anos de concepção e muito trabalho, que envolve a banda, os empresários, a equipe de roadies, gravadoras, advogados, promotores locais e agentes de viagem…

Depois de firmar um acordo com a 30e no Brasil e a Cobra Agency no resto do mundo para anunciar uma tour de despedida, anúncio feito no dia 8 de dezembro de 2023, para celebrar 40 anos de história intitulada ‘Celebrating Life through Death’…

Depois de abrir as vendas dos ingressos e de ter tido uma resposta maravilhosa dos nossos fãs, esgotando várias praças pelo mundo, abrindo novas datas e criando uma expectativa mágica e muito positiva…

Depois dos ensaios marcados e confirmados, de toda a estrutura pronta para encarar os próximos 18 meses de shows e celebrações…

No último dia 6 de fevereiro, em uma reunião extraordinária, o baterista Eloy Casagrande comunicou à banda e aos empresários que está se desligando do Sepultura pra seguir carreira em outro projeto.

Fomos pegos de surpresa, sem aviso prévio ou qualquer tipo de debate sobre como fazer a transição. A comunicação foi feita e ele se desligou imediatamente da banda, abandonando tudo relacionado ao Sepultura.

A nossa história é feita de desafios e são eles que alimentam nossa criatividade e determinação. Não seria agora, depois de tudo que passamos nesses 40 anos, que iriamos desistir, pelo contrário!

Sendo assim, estamos muito felizes em anunciar o espetacular baterista Greyson Nekrutman, que será o nosso parceiro nas baquetas para honrar o compromisso que temos com a Sepulnation e com todos que fazem parte desta celebração!

Sempre fortes e unidos na energia positiva de respeito e gratidão.

Nos vemos na estrada! Vamos celebrar,

Andreas Kisser, Derrick Green e Paulo Xisto”

O baterista Greyson Nekrutman complementou:

“Hoje expresso minha sincera gratidão pela incrível oportunidade de me juntar aos lendários integrantes do Sepultura em sua turnê de despedida. Contribuir para esse legado é um privilégio que me enche de honra e entusiasmo. A abordagem destemida do Sepultura para explorar novos territórios na esfera do metal é algo que eu sempre admirei e usei como inspiração em minhas próprias empreitadas musicais. Estou ansioso para somar à arte da banda, para me conectar com os fãs que sempre apoiaram o Sepultura durante sua evolução e também para criar novas experiências eletrizantes no palco. Um brinde aos novos capítulos que escreveremos, aos palcos que conquistaremos e à poderosa música que vamos apresentar em todo planeta.”

Em texto publicado somente em suas redes, Eloy Casagrande afirmou:

Leia também:  Bruce Dickinson se torna cidadão honorário de Curitiba

“Gostaria de comunicar a minha saída do Sepultura.

Ter feito parte da maior banda de metal brasileira foi das melhores e mais ricas experiências da minha vida. Só agradeço a cada um dos integrantes e a toda equipe.

Foi uma história de quase 13 anos, em que tive a oportunidade de aprender e contribuir com cada música, show e gravação. Foram anos de muita entrega, intensidade e comprometimento. Foram

3 discos muito bem recebidos pela crítica, inúmeros shows nos 5 continentes e muita história pra contar. Então, por isso, antes de mais nada, reitero meu agradecimento ao Sepultura e aos fãs por tudo o que passamos.

Talvez para os fãs da banda não faça sentido neste momento, mas decisões precisaram ser tomadas pensando em novos ciclos que virão.

Somos feitos de escolhas e elas nem sempre se dão de maneira fácil. A minha saída jamais apagará meu respeito e gratidão à banda.

Felizmente há muito por vir. Espero seguir fazendo muita música e arte. Vejo vocês em breve na estrada!”

A turnê “Celebrating Life Through Death” foi iniciada no Brasil, em março, com sua primeira série de shows. A banda passará por outros países da América do Sul neste mês. Em setembro, retorna a seu país de fundação, antes de seguir para a Europa, entre outubro e novembro.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasEloy Casagrande saiu do Sepultura de um jeito “esquisito”, diz Andreas Kisser
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades