O Rage Against the Machine acabou? Tim Commerford responde

Músico opta por não dar resposta conclusiva a respeito por ser “o homem inferior do totem”: “baixistas sempre são os últimos a saber”

Em janeiro último, o baterista Brad Wilk anunciou que o Rage Against the Machine não voltará a fazer turnês ou shows. A declaração não foi tão específica e nenhum de seus colegas de banda se manifestou — o que deixou os fãs ainda mais confusos.

­

- Advertisement -

O primeiro a se pronunciar após Wilk é Tim Commerford. O baixista do grupo foi convidado a abordar o assunto durante entrevista à Rolling Stone — e também não deu respostas tão esclarecedoras assim, embora tenha evidenciado um pouco de como funciona a mecânica interna do grupo.

Inicialmente, ele declarou que ele não é o único integrante, logo, não poderia falar em nome de todos.

“Há quatro pessoas na banda. Sou apenas um quarto do Rage. Passei os últimos dois anos em tratamento (de um câncer na próstata). E há quatro pessoas que estão vivendo suas vidas. Brad acabou de ter um novo bebê, Zack (de la Rocha, vocalista) rompeu o tendão de Aquiles. Você não pode nem pegar um avião quando essa m#rda acontece. O processo de recuperação, como se pode ver nos esportes, leva muito tempo.”

Em seguida, após ser questionado de forma direta se o RATM acabou, ele respondeu:

“Não sei. Não me envolvo nisso. Sou o baixista. Apenas espero que alguém me diga o que fazer. Brad disse o que disse, mas ele está um patamar acima de mim. Ele está no terceiro lugar. Eu sou o homem inferior no totem. Isso é tudo que posso lhe dizer. Sou o baixista. Os baixistas sempre são as últimas pessoas a descobrir coisas assim.”

Tim Commerford pronto para volta do Rage Against the Machine

Apesar das declarações pouco precisas, Tim Commerford diz estar pronto para um possível retorno do Rage Against the Machine. Ele afirmou:

Leia também:  Show de Roberto Carlos que inauguraria Arena Pacaembu é cancelado após vistoria

“Quando a luz do Rage brilha nas nuvens, como o Bat-Sinal que o Batman via e saberia que tinha que fazer alguma m#rda… é assim que eu vivo. E isso é o melhor para mim. Esta é a primeira vez na minha vida que consigo realmente me afastar disso e dizer, ‘sim, eu tenho uma vida fora disso’. E isso por si só é suficiente.”

Commerford, vale destacar, tem uma nova banda: o 7D7D, ao lado do baterista Mathias Wakrat e do guitarrista Jonny Polonsky. Alguns singles foram lançados nos últimos tempos.

A publicação de Brad Wilk

Na postagem mencionada no início do texto, Brad Wilk afirmou:

“Sei que muita gente está esperando que a gente anuncie novas datas para todos os shows cancelados do Rage Against the Machine. Eu não quero mais enrolar pessoas ou a mim mesmo. Então, enquanto houve comunicação sobre a possibilidade de isso acontecer no futuro… Quero avisar a vocês que o RATM (Tim, Zack, Tom e eu) não sairemos mais em turnê ou faremos shows. Sinto muito por aqueles esperando para que isso acontecesse. Queria muito que rolasse.”

A afirmação trouxe clareza após um longo período de especulação entre fãs sobre o status da banda. Relembre o histórico a seguir.

Incertezas com o Rage Against the Machine

Tudo começou em outubro de 2022, quando o RATM cancelou todas suas apresentações marcadas para o ano seguinte. Europa e Reino Unido foram afetados — e havia rumores de que o quarteto viria ao Brasil.

O motivo oferecido na época foi uma lesão sofrida por Zack de la Rocha em seu tendão de Aquiles, que já havia forçado o canor a se apresentar sentado no restante da turnê norte-americana, a primeira atividade do grupo desde 2011. Só que as datas foram realmente canceladas, sem remarcação.

Em entrevista de março de 2023 à Rolling Stone, Tom Morello deixou no ar a possibilidade da banda retornar à estrada após esses cancelamentos. Mesmo com perguntas ainda mais diretas sobre o retorno, ele evitou dar uma resposta mais concreta.

“Veremos. Se houver mais shows, anunciaremos como uma banda. Não sei. Eu sei tanto quanto você, honestamente. Agora estamos em um momento de cura. Estou em um momento de fazer música e mais um monte de coisas. Se nunca mais houver outro show nosso, acho que essa turnê cumpriu a missão. Não é sobre o quanto você viaja, mas sobre como é durante aqueles momentos em que você o faz. O Rage Against the Machine fez 19 shows nos últimos 12 anos. A repercussão deles soa como eventos históricos, que promovem a ideia de como é a banda ao vivo no palco.”

A situação ganhou contornos adicionais em novembro, quando o Rage entrou para o Rock and Roll Hall of Fame e Morello foi o único membro a comparecer à cerimônia oficial. Já no início de dezembro, o Inside Out, banda de Zack de la Rocha pré-RATM, reativou suas redes sociais, dando sinais de um retorno após 31 anos de inatividade.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasO Rage Against the Machine acabou? Tim Commerford responde
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades