Dave Mustaine diz que ainda está lidando com Kiko Loureiro fora do Megadeth

Brasileiro permaneceu na banda por oito anos, registrando dois discos antes de ser substituído por Teemu Mäntysaari

Os oito anos que Kiko Loureiro passou no Megadeth foram bastante exaltados por Dave Mustaine em todos os momentos. O guitarrista brasileiro se adaptou muito bem à banda, participando de dois álbuns elogiados e se aventurando até mesmo a oferecer suas ideias para o líder do grupo, que notoriamente não costuma ser tão acessível em termos colaborativos.

Apesar de tudo, chegou o momento de sair de cena. De forma planejada, o brasileiro escolheu seu substituto, o treinou e seguiu em frente, optando por priorizar a família e as objetivos artísticos individuais.

- Advertisement -

Em entrevista exclusiva ao IgorMiranda.com.br, Mustaine falou sobre como vê a situação atualmente.

“Ainda estou lidando com isso. Fico triste, mas amo o Kiko e sei que ele tinha que fazer a coisa certa pela sua família — que é ficar com eles. Pode não ser por muito tempo, pode ser só por um curto período de tempo. Mas quando se é pequenino — e ele tem dois pequeninos agora —, esses primeiros anos são muito importantes. Se Kiko voltar a eles só daqui cinco ou 10 anos, quando todos eles crescerem, e disser ‘ok, estou aqui’, essas crianças vão dizer: ‘tchau, pai, estou indo para outro lugar’. Isso não é uma coisa boa. Acho que isso é parte do problema de muitos jovens. Não é que eles fizeram alguma coisa: foram as pessoas que deveriam estar em suas vidas que fizeram alguma coisa. As pessoas que deveriam estar lá desistem e vão embora. Não importa quão bom ou ruim o garoto seja, a pessoa que deveria estar lá apenas deveria estar lá.”

O frontman garante que sempre sentiu orgulho da parceria com o brazuca. Porém, o sentimento se tornou ainda mais claro após sua saída.

“E acho tão certo e bom o que Kiko fez. Para mim foi tão agridoce, porque tive orgulho dele. Sempre tive orgulho do Kiko, mas tenho que ter muito orgulho dele. Quando ele se afastou, foi muito doloroso, mas eu sabia que ele seria o melhor pai, o melhor marido e que viveria na minha memória como um ser humano realmente decente e maravilhoso.”

A visão de Kiko sobre a saída

Questionado pela Guitar World sobre os motivos que determinaram sua decisão, Kiko Loureiro revelou:

“Tudo começou quando marquei uma viagem para o Brasil. A última vez que fui para lá havia sido em 2019, antes da pandemia. Cheguei a um ponto em que eu disse: ‘preciso visitar minha família’, então marquei uma viagem durante o período de Ação de Graças em 2023 porque o Megadeth nunca faz nada nessa época.”

Cada vez mais, a ideia de ficar distante dos três filhos — uma menina de 12 anos e dois gêmeos de 7, todos morando na Finlândia — passou a pesar para o guitarrista. Por isso, em junho, decidiu abordar a questão de forma franca.

Leia também:  Executiva conta como festivais convenceram Slayer a voltar

“Quando você é jovem, não é casado e não tem filhos, a mentalidade é ‘quanto mais shows, melhor’. Mas minha filha tem 12 anos agora e eu quero passar um tempo com ela. Também quero estar tocando. Quando entrei para o Megadeth em 2015, eu tinha uma filha pequena e gêmeos que eram recém-nascidos. Eu estava sempre lutando com o fato de que precisava estar em turnê, mas também queria estar em casa com meus filhos e minha esposa. Então, a sensação de ‘devo continuar com isso de rockstar enquanto meus filhos estão em casa?’ continuou surgindo. E quanto mais momentos e datas importantes eu perdia, mais difícil ficava. Ficou mais difícil em 2023, especialmente durante a turnê de verão de três meses. Então eu disse para Dave em junho: ‘isso é demais, não estou sentindo que estou no lugar certo ou com vontade de dar o meu melhor’.”

A conversa entre ambos aconteceu logo depois do show em que abriram para o Misfits — no dia 24 de junho, em Tampa, na Flórida. Durante o diálogo, o próprio Kiko se ofereceu para encontrar um substituto.

“Foi complicado para mim dizer isso porque eu queria tocar, mas sabia que precisava estar em casa. E, claro, Dave não estava esperando. Tínhamos acabado de fazer um show na Flórida com os Misfits, e foi logo depois desse show que conversei com Dave. E então a equipe do Megadeth estava lá, e eu avisei que não poderia fazer os shows de setembro. Eu me ofereci para ajudar a encontrar um substituto e fazer o que fosse necessário para ajudar o Megadeth a estar pronto.”

De início, o intuito era apenas não participar das apresentações marcadas para setembro. Porém, novamente, o músico entendeu que era o momento de parar e, de fato, dedicar-se à esfera pessoal de sua vida.

“Minha proposta era não fazer os shows de setembro e ajudá-los a encontrar um substituto, que acabou sendo o Teemu. Mas depois tive algumas situações envolvendo os meus filhos e tive de ir ao médico, e senti que queria estar em casa. E eu entendo, o Megadeth deve continuar, certo? […] Tive que assumir o controle porque sabia que precisava e queria estar em casa. As pessoas que não têm filhos não vão entender, mas se você tiver, você entenderá.”

Kiko Loureiro e o futuro solo

Kiko Loureiro entrou para o Megadeth em 2015, quando ocupou a vaga de Chris Broderick, atual membro do In Flames. Ele gravou dois álbuns de estúdio: “Dystopia” (2016), cuja faixa-título venceu um Grammy de Melhor Performance de Metal no ano seguinte, e “The Sick, the Dying… and the Dead!” (2022). Ambos alcançaram o 3º lugar na Billboard 200, principal parada dos Estados Unidos.

Leia também:  Por que o Black Sabbath está mais satânico em “Headless Cross”

Recentemente, o instrumentista anunciou uma nova turnê solo nacional, tocando material de toda a carreira. Eis as datas já confirmadas:

Confira as datas confirmadas até o momento:

  • 27/07 – Ribeirão Preto @ Espaço G3
  • 28/07 – Belo Horizonte @ Mister Rock
  • 02/08 – Goiânia @ Bolshoi
  • 03/08 – Brasília @ Toinha Brasil Show
  • 04/08 – Santos @ Arena
  • 08/08 – Florianópolis @ John Bull
  • 09/08 – Curitiba @ Ópera de Arame
  • 10/08 – São Paulo @ Tokio Marine Hall
  • 11/08 – Porto Alegre @ Opinião

Megadeth e a “Crush the World Tour”

Contando atualmente com Teemu Mäntysaari (guitarra) na vaga que pertenceu a Kiko, o Megadeth volta para a América Latina com a “Crush the World Tour”. Além de Mustaine (voz e guitarra) e do finlandês, a formação ainda traz James LoMenzo (baixo) e Dirk Verbeuren (bateria).

Confira todas as datas e locais:

  • 06/04 – Lima, Peru (Arena 1)
  • 09/04 – Santiago, Chile (Movistar Arena)
  • 11/04 – Assunção, Paraguai (Jockey Club)
  • 13/04 – Buenos Aires, Argentina (Movistar Arena)
  • 14/04 – Buenos Aires, Argentina (Movistar Arena)
  • 16/04 – Buenos Aires, Argentina (Movistar Arena)
  • 18/04 – São Paulo, Brasil (Espaço Unimed)
  • 21/04 – Bogotá, Colômbia (Movistar Arena)
  • 22/04 – Bogotá, Colômbia (Movistar Arena)
  • 25/04 – Cidade do México, México (Arena Ciudad Mexico)
  • 27/04 – Monterrey, México (Arena Monterrey)
  • 30/04 – San Salvador, El Salvador (Complejo Cuscatlan)

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasDave Mustaine diz que ainda está lidando com Kiko Loureiro fora do...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades