A opinião de Brian May sobre David Gilmour e Ritchie Blackmore

Guitarrista do Queen relembrou a ocasião em que viu Gilmour fazer "coisas insanas" com uma garrafa e definiu Blackmore como "um dos mais perigosos"

Um grande guitarrista comentando sobre outro. Essa foi a intenção da revista Guitar World ao perguntar, em 2020, a opinião de Brian May, do Queen, sobre os colegas David Gilmour (Pink Floyd) e Ritchie Blackmore (Deep Purple, Rainbow).

Com relação a Gilmour, May não poupou elogios.

- Advertisement -

“Um grande guitarrista, adoro ele, tenho muito respeito. Vi um dos primeiros shows do Pink Floyd, onde ele fazia coisas insanas com uma garrafa na guitarra. Tocamos juntos na Armênia em uma ocasião, pedi para ele tocar ‘Smoke on the Water’ nesse evento beneficente. Um grande músico.”

Blackmore, por sua vez, foi definido pelo colega como “outro de seus heróis”.

“Ele é insano. É extraordinário vê-lo tocar. Um dos guitarristas mais perigosos, no melhor sentido da coisa. Muito à frente do nosso tempo.”

Comentário sobre Nuno Bettencourt

Um guitarrista que não é tão comentado por ser mais contemporâneo, mas que Brian May sempre faz questão de elogiar, é Nuno Bettencourt, do Extreme. Nesta entrevista, não foi diferente.

Leia também:  Os maiores diferenciais do Pearl Jam, segundo o produtor Andrew Watt

“Nuno é ultrajante! Tocamos muitas vezes juntos. O show do Extreme no Freddie Mercury Tribute Concert, em 1992, foi memorável. Eu não sabia como seria, eles fizeram mistério. Achei que iriam tocar os hits deles, mas fizeram aquele medley do Queen e eu fiquei de queixo caído. Foi incrível, tocaram de forma tão perfeita, mas com uma pegada própria deles. A técnica de Nuno para solar é incrível. Uma pena que a banda não tenha continuado, acho que eles não atingiram o potencial deles no mundo.”

Sobre Brian May

Nascido em Hampton Hill, Inglaterra, Brian Harold May começou a carreira na banda 1984, que posteriormente se tornou o Smile. No início da década de 1970 fundou o Queen, junto de Roger Taylor e Freddie Mercury. Após a entrada de John Deacon, o grupo deu início a uma das histórias mais bem-sucedidas do rock, com mais de 300 milhões de discos vendidos em todo o planeta.

Leia também:  A diferença entre Robert Plant e Paul Rodgers, segundo Jimmy Page

Também possui dois trabalhos solo, além de projetos com Eddie Van Halen, Kerry Elis, Chris Thompson e Tangerine Dream. Ainda participou de gravações com Black Sabbath, Paralamas do Sucesso, Meat Loaf, Hank Marvin, Foo Fighters e Five Finger Death Punch, entre outros.

Em 2007 finalizou seu pós-doutorado em astrofísica no Imperial College London. Paralelamente à carreira artística, é um grande defensor das causas animais, envolto em iniciativas com instituições de todo o planeta.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA opinião de Brian May sobre David Gilmour e Ritchie Blackmore
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades