Espólio de Johnny Ramone move processo por cinebiografia de Joey Ramone

Filme anunciado em 2021 pela Netflix é novo capítulo de imbróglios judiciais envolvendo os representantes dos falecidos músicos

A pessoa responsável pelo espólio do guitarrista Johnny Ramone está processando o espólio do vocalista Joey Ramone. O motivo é a produção de uma cinebiografia do cantor anunciada pela Netflix. Estrelado por Pete Davidson, o filme é inspirado na biografia “Eu dormi com Joey Ramone”, de Mickey Leigh, irmão mais novo do frontman.

De acordo com a Billboard, a viúva do guitarrista, Linda, que também cuida de seu espólio, acusa Leigh de produzir um longa-metragem sobre os Ramones sem sua permissão. Ela e o irmão de Joey têm partes iguais sobre os direitos da obra da banda.

- Advertisement -

Dessa forma, Linda exige que a produção passe também por sua aprovação. A Netflix não é citada nominalmente, mas está envolvida no caso.

Os advogados da viúva de Johnny afirmam no processo:

“Ms. Ramone se opõe à tentativa dos réus de criar um filme dos Ramones sem seu envolvimento […] com base no desrespeito dos réus pelos bens [dos Ramones] e pela conduta e tratamento dispensados à Ms. Ramone e seu falecido marido. Permitir que apenas os réus contem a história oficial dos Ramones seria uma injustiça para a banda e seu legado.”

A situação parece abranger uma disputa ainda maior. Além da questão da cinebiografia, Linda também alega que Leigh e David Frey, outro responsável pela obra do quarteto, não estão fazendo sua parte na manutenção do legado de um dos maiores nomes da história do punk rock. Os advogados complementam:

Leia também:  Olivia Rodrigo doará parte da renda de turnê a ONG de direitos reprodutivos

“É evidente pela conduta contínua dos réus que seu principal objetivo é atormentar Ms. Ramone até que ela concorde em vender sua parte. Lamentavelmente, os réus parecem dispostos a permitir que o legado da banda decaia, a fim de beneficiar seus próprios interesses.”

As duas partes já estiveram em uma batalha judicial em 2014 pelo nome “Ramone”, que foi adotado por Linda como seu sobrenome. Um acordo foi feito cinco anos depois. Os músicos, por sua vez, faleceram de tipos diferentes de câncer em 2001 (Joey) e 2004 (Johnny).

A cinebiografia de Joey Ramone

A Netflix confirmou a produção do filme com base no livro de Mickey Leigh em 2021, quando também confirmou Pete Davidson no papel de Joey Ramone. O ator interpretou o empresário Tom Zutaut em outra cinebiografia produzida pela plataforma de streaming: “The Dirt”, que conta a saga do Mötley Crüe.

Leia também:  O incrível baterista que nunca recebeu atenção, segundo Eric Singer

A ideia é que a produção aborde a vida do frontman desde a infância, passando, claro, por seu período de Ramones. Adam Fogelson, da produtora STXfilms, divulgou um comunicado explicando um pouco do que podemos esperar da adaptação:

“Quando você divide a cama com alguém – e não só a cama, mas a infância, a família e a vida –, você conhece essa pessoa melhor do que qualquer um. Mickey Leigh não apenas colaborou com a banda de seu irmão mais velho – ele tem memórias insubstituíveis e insights sobre Joey, tendo o apoiado quando ninguém mais iria, e testemunhado ele superar a adversidade da maneira mais dramática.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasEspólio de Johnny Ramone move processo por cinebiografia de Joey Ramone
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades