Como pop, dance e R&B influenciam II, o baterista do Sleep Token

Instrumentista se tornou o primeiro membro da banda a conceder uma entrevista gravada em vídeo

Aparentemente, os integrantes do Sleep Token estão dispostos a quebrar o mistério de vez. Após adotarem novos visuais, pela primeira vez um membro da banda britânica concedeu entrevista gravada em vídeo. O pioneiro foi II, seu misterioso baterista, em registro do canal Drumeo.

Durante o bate-papo, o músico também tocou e aproveitou para falar sobre suas influências. Não deve ser surpresa para quem conhece a sonoridade do grupo, mas elas não se resumem ao rock e ao metal. Conforme transcrição do Music Radar, ele declarou:

- Advertisement -

“Pessoalmente, sempre me inspirei muito na cena dance music do Reino Unido. Ouvir os vários subgêneros do drum ‘n’ bass, especificamente, me permitiu incorporar vários traços estilísticos desses gêneros em meu estilo como baterista. Eu diria que embora minha abordagem estilística e meus objetivos tenham permanecido geralmente os mesmos, meu vocabulário no kit se expandiu. Tento trabalhar para não usar sempre as mesmas frases, ou não usar essas frases na mesma voz para garantir que as partes permaneçam um tanto interessantes. No entanto, é um trabalho contínuo em progresso. Admito que, como outros, nem sempre consigo, mas faz parte da jornada em si.”

II aproveitou para contar como cria seus arranjos no instrumento. E ainda fez questão de deixar claro que sim, o metal foi fundamental em sua educação artística.

Leia também:  A única banda de nu metal que Serj Tankian gostava antes da fama com o SOAD

“Também sou um grande fã de R&B e pop, o que influenciou minha forma de tocar. Eu cresci tocando principalmente metal, então o próximo passo óbvio para mim foi misturar esses outros estilos com uma forma de tocar mais pesada para adicionar versatilidade às minhas partes de bateria. Na maior parte, se não o tempo todo, tento prestar muita atenção aos vocais e descobrir quaisquer sílabas específicas que possam se beneficiar dos acentos do kit. Às vezes, uso a linha vocal como uma espécie de guia para dançar entre o que está sendo cantado. Preenchendo essas lacunas, se assim podemos dizer.”

Mas não fica só na voz de Vessel. Os outros colegas também podem acabar sugerindo um espaço onde o músico entra com suas colaborações.

“Normalmente falando, as músicas não começam com uma parte específica da bateria, embora isso não seja necessariamente deliberado. Outro elemento que procuro ao escrever é qualquer síncope específica que a bateria deva corresponder. Pode ser um padrão na guitarra, algum tipo de quebra rítmica ou algo eletrônico. Mas sinto que isso elimina muitas suposições ao escrever inicialmente as partes e me dá uma ideia mais clara da música em questão.”

Maior show até o momento

No último sábado (16) o Sleep Token realizou o show mais importante de sua carreira até o momento. A banda se apresentou na Wembley Arena, em Londres, tendo vendido todos os 10 mil ingressos em questão de minutos.

Leia também:  As dicas de Tom Morello para se tornar um guitarrista melhor

Vessel teve problemas de garganta, que acabaram sendo contornados pelo próprio público, que assumiu os vocais quando necessário.

Sleep Token atualmente

O Sleep Token lançou seu álbum mais recente em maio deste ano. “Take Me Back to Eden” é o terceiro trabalho de inéditas da banda, concluindo a trilogia iniciada no debut, “Sundowning” (2019). A sonoridade mistura elementos de metal alternativo, prog metal, post-rock e indie pop/rock.

O grupo tem shows marcados para a partir de abril de 2024. Tudo começa com uma turnê pela Austrália junto de Bring Me The Horizon, Make Them Suffer e Daine. A seguir, uma excursão pelos Estados Unidos, com destaque para a última apresentação, no dia 22 de maio, no icônico Radio City Music Hall, em Nova York.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesComo pop, dance e R&B influenciam II, o baterista do Sleep Token
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades