As músicas obscuras do Van Halen que Eddie adorava

Músico citou duas faixas do álbum “1984”, além de outra que estava entre as preferidas do filho, Wolfgang

O Van Halen criou muitos hits durante a carreira. Se ficássemos explanando um a um, precisaríamos de no mínimo uma dezena de parágrafos – e não temos tanto tempo, há outras matérias na fila para escrevermos.

Porém, a carreira da banda vai muito além. Há vários sons que não fizeram sucesso e possuem valor artístico tão grande quanto. Ciente disso, Eddie Van Halen citou alguns “deep cuts” durante entrevista à revista Spinner, resgatada pelo site Far Out Magazine. O saudoso guitarrista citou duas faixas de “1984” (1984), último álbum da formação clássica.

“‘Girl Gone Bad’ e ‘Drop Dead Legs’ estão entre minhas favoritas. Especialmente a segunda. Sendo hit ou não, amo essa música.”

- Advertisement -

Ainda sobrou espaço para mencionar uma canção de “Women and Children First” (1980), exatamente a que serviu como abertura para os únicos shows da banda no Brasil, realizados em 1983.

“Meu filho Wolfgang ama ‘Romeo Delight’. Eu também gosto muito. Mais uma das obscuras.”

Eddie ainda citou dois números instrumentais, “Eruption” e “Spanish Fly”, respectivamente presentes nos álbuns “Van Halen” (1978) e “Van Halen II” (1979).

“Elas são bem semelhantes na estrutura, exceto que a segunda é acústica, com um toque flamenco. Gostaria que mais alguém fizesse algo com aquela técnica.”

Ao mesmo tempo, o pai de todos os guitarristas do hard oitentista reconhece que são os clássicos que o povo quer ouvir.

“Até morrer vou ter que tocá-las, já que as pessoas querem muito escutá-las.”

Uma pena que esse momento já aconteceu, em outubro de 2020. Eddie Van Halen sucumbiu a um câncer, aos 65 anos.

Leia também:  As melhores músicas de todos os tempos na opinião de Dave Grohl

Sobre Eddie Van Halen

Nascido em 26 de janeiro de 1955, em Amsterdã, nos Países Baixos, Eddie Van Halen veio de família musical, visto que seu pai tocava piano, clarinete e saxofone. Mudou-se para os Estados Unidos em 1962.

Na década seguinte, formou com seu irmão, o baterista Alex Van Halen, a banda que carregava o sobrenome de ambos. A formação clássica também incluía David Lee Roth nos vocais e Michael Anthony no baixo.

Eddie chamou a atenção com seu estilo de guitarra inovador, introduzindo novas formas não apenas de tocar, como também de configurar e utilizar equipamentos. Além de grande curioso pela parte eletrônica, era também pianista, o que influenciou sua abordagem no instrumento.

Leia também:  Jake E. Lee disse a Bruce Dickinson que “esgrima é meio gay” e quase se encrencou

Em 1978, o Van Halen assinou um contrato de gravação com a Warner e lançou seu álbum de estreia homônimo, que não demorou a se tornar um sucesso. A partir daí, uma trajetória de sucesso foi consolidada, seja com Roth ou com seu substituto nos vocais, Sammy Hagar.

Além de seu trabalho com o grupo que carrega seu sobrenome, Eddie Van Halen colaborou com outros artistas renomados, como Michael Jackson, Brian May (projeto Star Fleet), Gene Simmons (Kiss), Black Sabbath, Roger Waters, entre outros.

Faleceu em 6 de outubro de 2020, aos 65 anos, após uma longa batalha contra o câncer. Em seus últimos anos, apesar da reclusão e ausência dos palcos, planejou fazer uma turnê final com todos os músicos que haviam passado pelo Van Halen.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAs músicas obscuras do Van Halen que Eddie adorava
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

2 COMENTÁRIOS

  1. Não fizeram sucesso e são tão boas quanto … Pra quem? Pelo que sei sucesso está implicitamente ligado ao agrado da maioria do público, retratado pelo valor comercial alcançado. Quer dizer que uma música não teve uma aceitação expressiva junto ao público em geral e alguém, cuja opinião supera toda uma coletividade, a define como sendo do mesmo nível das que fizeram sucesso? Que soberba …

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades