Os 10 melhores guitarristas dos últimos 10 anos, segundo Nita Strauss

Entre as menções feitas pela virtuosa estão a brasileira Lari Basilio e o filho de uma lenda do instrumento

Poucos guitarristas se destacaram tanto nos últimos tempos como Nita Strauss. Apelidada de “Hurricane”, a instrumentista foi ganhando o mundo ao tocar com grandes estrelas e, paralelamente, desenvolver respeitada carreira solo, com dois discos onde esbanjou talento.

Porém, que mais a própria escolheria como os grandes nomes do momento? Em artigo ao Loudwire, a própria revelou suas escolhas tendo como parâmetro os últimos 10 anos.

- Advertisement -

Confira os nomes citados e os comentários de Nita sobre eles.

Angel Vivaldi:

“Estilo e arrogância encontram técnica inegável. Eu realmente acho que Angel é um dos guitarristas mais empolgantes de se assistir e sua diversidade de estilo é impressionante. Além disso, você não pode falar sobre ele sem mencionar os grandes avanços que está fazendo para criar inclusão na cena da guitarra.”

Yvette Young (Covet):

“A musicalidade e o fraseado suave e cadenciado de Yvette fazem dela uma das guitarristas mais originais e emocionantes que conheço. Seja sozinha ou com sua banda Covet, na guitarra ou no piano, ela realmente exala suas emoções ao tocar.”

Lari Basilio:

“Lari é a combinação mortal da instrumentista de sessão versátil e a artista solo talentosa que faz o mundo da guitarra se levantar e prestar atenção. Seja destruindo ao lado de grandes artistas ou seu próprio trabalho solo, ela é incrível no que faz.”

Jason Richardson (All That Remains, ex-Born of Osiris, ex-Chelsea Grin):

“Você não pode ter uma conversa sobre os melhores guitarristas modernos sem que o nome de Jason seja mencionado. Suas costeletas fazem todos os guitarristas na sala aplaudirem furiosamente enquanto dizem baixinho: ‘oh, fuck’.”

Leia também:  Os 5 discos que Flea levaria para uma ilha deserta

Alexandra Zener:

“Alexandra é uma cirurgiã, uma verdadeira técnica de guitarra. Soube dela pela primeira vez em um cover de Jason Becker e fui sugada por sua música solo impecável. Sou até patrocinadora de sua página do Patreon porque amo muito as coisas dela!”

Tim Henson + Scott LePage (Polyphia):

“Eu odeio juntar dois guitarristas tão bons, mas precisava de espaço na lista. O que esses dois estão fazendo pelo mundo da guitarra é absolutamente inegável. Não há muitas pessoas que você pode realmente dizer que estão mudando o jogo, mas eles estão.”

Gretchen Menn:

“Poucos guitarristas mudam de clássicos do Deep Purple e Led Zeppelin (completo com arco) para acústico clássico tão perfeitamente quanto Gretchen. Sua graça e equilíbrio ao tocar peças incrivelmente difíceis são uma inspiração constante para mim.”

Wolfgang Van Halen (Mammoth WVH):

“Embora não seja exatamente novo na cena, não acho que muitos de nós realmente percebemos o que Wolfgang poderia realmente fazer até os últimos anos. Ele não deixou absolutamente nenhuma dúvida sobre como tocar e compor, independentemente do sobrenome.”

Nili Brosh (Dethklok, Tony MacAlpine):

“Do Dethklok a Tony MacAlpine, do Cirque du Soleil a Danny Elfman, de seu material solo progressivo e jazzístico ao ensino no Berklee College of Music, Nili é verdadeiramente uma das guitarristas mais versáteis e talentosas da cena. A minha memória mais impressionante é de quando fizemos uma clínica juntas há vários anos. Ela perguntou ao público que música gostariam de ouvir de qualquer um dos seus álbuns como a última música da noite e tocou nota por nota, sem um slide ou bend fora do lugar.”

Leia também:  As melhores músicas de todos os tempos na opinião de Dave Grohl

Jared James Nichols:

“Jared ataca cada fase do instrumento como um conquistador viking invadindo uma praia inimiga, mas de alguma forma permanecendo afável e de boa índole. Sua alma, tom e vibrato rivalizam com qualquer bluesman de carreira. Ainda me recuso a acreditar que ele faz tudo isso sem usar uma palheta.”

Sobre Nita Strauss

Nita Strauss começou a carreira na banda Lia-Fail, que também contava com a campeã mundial de boxe Mikaela Mayer. Posteriormente, passou a integrar ao mesmo tempo a Femme Fatale e a The Iron Maidens. Entrou para a banda de Alice Cooper em 2014, na vaga de Orianthi. Em 2022, começou a trabalhar com Demi Lovato.

Recentemente, lançou o segundo álbum solo, “The Call of the Void”. Ao contrário do primeiro, o totalmente instrumental “Controlled Chaos” (2018), o tracklist conta com metade das faixas cantadas, trazendo diferentes vocalistas convidados. Também participou de discos de Jamie Christopherson, Critical Hit, Docker’s Guild, FB1964, Metal Allegiance, Kane Roberts e We Start Wars, entre outros.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioListasOs 10 melhores guitarristas dos últimos 10 anos, segundo Nita Strauss
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades