Sigur Rós ressurge no caos com “Átta”, documento sonoro do novo mundo

Lançado de surpresa, primeiro disco do grupo de post-rock em uma década oferece alento sem deixar de explorar e experimentar

Ilhada em meio ao Atlântico Norte, a Islândia é uma terra especial. Um paraíso literal com algumas das visões mais deslumbrantes da Terra e que já presenteou o mundo com muita gente talentosa. De lá, também vem o Sigur Rós, grupo de post-rock conduzido pelos multi-instrumentistas Jónsi Birgisson e Georg Holm que, por meio da música, tentam traduzir as paisagens islandesas em sons.

A serviço disso, criaram até uma língua sem sentido, batizada Vonlenska – que tem fins puramente melódicos. Com um novo álbum que vem à luz após momentos difíceis para o mundo e a própria banda, “Átta” encontra em seu contexto sons que favorecem uma regeneração natural provocada pelo tempo.

- Advertisement -

Lançado sem qualquer manifestação prévia, o disco marca o retorno do Sigur Rós aos estúdios para gravar um álbum de inéditas que não aparecia desde 2013, com “Kveikur”. Durante esse tempo, muitas águas passaram por debaixo da ponte nórdica, a começar com um processo de sonegação fiscal travado na sua terra natal em razão de uma evasão fiscal equivalente a R$ 5 milhões. Foi vencido.

Houve mais um terrível problema: o baterista Orri Páll Dýrason, teve de deixar a banda carregando nas costas uma acusação de assédio feita por fã. Se os ventos nada favoráveis insistiam em soprar, o produto final ainda é belo e absorve com precisão as crises e perspectivas que se apresentam no momento.

Para “Átta”, o tecladista Kjarri Sveinsson, ausente desde 2013, retorna ao grupo. Que também reforça o time com a Orquestra Contemporânea de Londres, regida pelo maestro Robert Ames. Ainda complementado com Paul Corley, coprodutor e colaborador de longa data, o Sigur Rós faz algo que domina: fazer essa ficha técnica recheada soar como algo natural e minimalista. Intensa e expansiva, quando necessário, mas predominantemente serena.  

Leia também:  12 bandas que você nunca ouviu falar, mas que lançaram boas músicas hoje (21/06)

Há quem vá encontrar alento de cara entre os 56 minutos de álbum, mas post-rock bom é aquele que se explora. Que se experimenta em diferentes fases do dia. Um headphone, por exemplo, ajuda a ter melhor noção da dimensão arquitetada por Jónsi e companhia aqui.

Nos próximos meses, julho e agosto, o Sigur Rós embarca em turnê de 12 datas pela Europa e América do Norte. Sua passagem pelo Brasil aconteceu em 2017, quando se apresentaram no Espaço das Américas em São Paulo.

Ouça “Átta” a seguir, via Spotify, ou clique aqui para conferir em outras plataformas digitais.

Sigur Rós – “Átta”

  1. Glóð
  2. Blóðberg
  3. Skel
  4. Klettur
  5. Mór
  6. Andrá
  7. Gold
  8. Ylur
  9. Fall
  10. 8

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioLançamentosSigur Rós ressurge no caos com “Átta”, documento sonoro do novo mundo
Gabriel Caetano
Gabriel Caetano
Publicitário que escreve sobre arte e entretenimento. Desde 09 tô na internet falando do que gosto (e do que não gosto) para quem possa gostar (ou não) também.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades