Foto: Brian Lowe / divulgação

Paul Stanley diz que Elon Musk poderia erradicar a fome em vez de comprar Twitter

“Nosso mundo não seria mais avançado usando muito menos de 44 BILHÕES DE DÓLARES para erradicar a fome?”, questionou o vocalista e guitarrista do Kiss no Twitter,

A recente ação do bilionário Elon Musk ao comprar o Twitter levantou vozes discordantes em todos os espaços de opinião. O meio do rock não poderia ficar de fora. Em postagem na rede social adquirida, Paul Stanley criticou a ação do empresário.

O vocalista e guitarrista do Kiss publicou:

“Posso estar esquecendo algo (por favor, me avisem). Em vez de financiar uma aquisição pessoal, nosso mundo não seria mais avançado usando muito menos de 44 BILHÕES DE DÓLARES para erradicar a fome? Curar o câncer? A lista é longa e as possibilidades infinitas.”

Zach Myers, guitarrista do Shinedown, contrariou o Starchild.

“Paul… você é provavelmente uma das minhas pessoas favoritas com quem eu já excursionei. Mas: A. Dizer aos cidadãos o que fazer com seu dinheiro não é nosso trabalho. B. Mesmo com 44 trilhões, você não acabaria com a fome no mundo.”

Ex-Judas Priest e atual KK’s Priest, o vocalista Tim “Ripper” Owens seguiu a mesma linha. Porém, com argumentos que são até difíceis de compreender, atirando para qualquer lado na simples tentativa de acertar algo.

“Bem, ele está vendendo Teslas, mas tenho certeza que eles não vão comprar agora também. É legal você morar em uma casa de 1 quarto e 800 pés quadrados e a maior parte do seu dinheiro ser destinado a acabar com a fome no mundo. Isso é incrível. Quem sabe os fãs que compram qualquer coisa suas passem a doar para caridade.”

Por outro lado, o baixista e vocalista Phil Rind (Sacred Reich) se posicionou ao lado de Paul Stanley.

“Essas pessoas não se importam. Alguém precisa de um iate de US$ 500 milhões? As pessoas precisam de casas de US$ 100 milhões? Esses caras nem querem deixar seus trabalhadores se sindicalizarem porque podem ter que pagá-los de forma justa. A fome no mundo? A falta de moradia? Esses são problemas dos outros. Todo o poder ao povo.”

Elon Musk, Twitter e liberdade de expressão

Elon Musk prega a liberdade de expressão de forma absoluta e irrestrita. Por conta disso, opositores à compra entendem que ele permitirá que os usuários do Twitter espalhem desinformação e discurso de ódio sob o pretexto de proteger seus direitos.

Diretor do Programa Mundial de Alimentos (PMA), mantido pela Organização das Nações Unidas (ONU), David Beasley declarou à CNN em outubro do ano passado que US$ 6 bilhões seria suficiente para ajudar 42 milhões de pessoas que correm risco de morrer de fome em todo o planeta. Ele conclamou Elon Musk e Jeff Bezos, os dois homens mais ricos do mundo, a tomar uma atitude para ajudar.

Quando o artigo ganhou popularidade, Musk respondeu que venderia ações da Tesla se o PMA pudesse fornecer um plano para acabar com a fome mundial pelo valor em questão. Beasley esclareceu depois que nunca quis dizer que Musk poderia realmente resolver a fome no mundo com tal doação, mas que o dinheiro definitivamente poderia ter ajudado milhões.

“US$ 6 bilhões não resolverão a fome no mundo, mas impedirão a instabilidade geopolítica, a migração em massa e salvarão pessoas à margem da miséria.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
15
Share