Por que Jake E. Lee ficou tanto tempo sumido? Adrian Vandenberg responde

Guitarrista de Ozzy Osbourne, Badlands e outros projetos ficou fora de cena por longos períodos entre as décadas de 1990 e 2010

Um dos principais guitarristas da década de 1980, Jake E. Lee fez história ao substituir o saudoso Randy Rhoads na banda de Ozzy Osbourne. Após cinco anos ao lado do Madman, entre 1982 e 1987, formou o supergrup Badlands junto de dois ex-Black Sabbath na formação: o vocalista Ray Gillen e o baterista Eric Singer.

Mesmo com uma carreira de destaque ao longo do período, Lee praticamente “sumiu” da indústria musical após o fim do Badlands, no início da década de 1990. Ele lançou um álbum solo, “A Fine Pink Mist”, em 1996, que só ganhou um sucessor, “Retraced”, em 2005. Divulgou duas compilações de covers, “Guitar Warrior” (2007) e “Running with the Devil” (2008), e trabalhou brevemente com o Enuff Z’Nuff nesse período, mas voltou a “desaparecer” em seguida.

- Advertisement -

O retorno definitivo à música só aconteceu mesmo em 2014, quando anunciou a banda Red Dragon Cartel e lançou o primeiro álbum, homônimo. Mais um disco, chamado “Patina”, saiu em 2018.

Somados os períodos de hiato, Jake E. Lee ficou mais de uma década – entre 1996 e 2005 e de 2009 até 2014 – sem produzir material novo ou fazer turnês regulares. Por que isso ocorreu?

Jake E. Lee e Adrian Vandenberg

A resposta para a pergunta veio de Adrian Vandenberg, ex-guitarrista do Whitesnake e amigo de Jake. Os dois se conheceram quando o Vandenberg, banda de Adrian no início dos anos 80, fez turnê abrindo para Ozzy Osbourne, quando Lee ainda fazia parte da formação.

Em entrevista ao canal Full in Bloom, com transcrição do Ultimate Guitar, Adrian comentou inicialmente sobre as conexões feitas durante esse período. Algumas coincidências chamaram atenção, pois na segunda metade dos anos 80, já no Whitesnake, Adrian trabalharia com: o baterista Tommy Aldridge, que tocava para Ozzy na época; e com o baixista Rudy Sarzo, que já havia integrado a banda de Ozzy e saiu para se juntar ao Quiet Riot, que abriu shows para o Vandenberg.

“Fizemos turnê juntos por quatro meses nos Estados Unidos e, depois disso, vi Ozzy de forma regular, pois o tour manager do Whitesnake era um grande amigo dele. […] Na época, Jake E. Lee estava na banda dele e foi quando também conheci Tommy. Quando o Vandenberg começou a fazer shows como headliner, o Quiet Riot abria e foi quando conheci Rudy. Não esperava que estaria em uma banda com os dois alguns anos depois.”

Leia também:  Gene Simmons: “é mais fácil estar nos Ramones, mas o Kiss foi muito maior”

Todos ali ficaram muito amigos, de forma geral. E o vínculo entre Adrian Vandenberg e Jake E. Lee se destacou, pois os dois mantiveram contato até mesmo nas décadas seguintes.

“Jake e eu saíamos juntos regularmente. Na verdade, não o vejo há um bom tempo. O engraçado é que quando eu voltei com o Moonkings, foi na mesma época em que Jake saiu de sua hibernação com o Red Dragon Cartel.”

O sumiço do guitarrista

Em seguida, Adrian Vandenberg revelou por que o amigo ficou tanto tempo longe da indústria musical.

“Nós dois ficamos fora desde a década de 1990 ou algo assim e meio que voltamos na mesma época. Ele é um guitarrista fantástico. É uma pena que ele tenha sumido por um tempo. Ele queria cuidar da mãe que estava doente ou algo assim, foi uma razão importante pela qual ele saiu de cena por um tempo.”

E quais as lembranças que Vandenberg tem de Lee, lá dos velhos tempos?

“Muito tranquilo, focado em sua forma de tocar, claro. Regularmente, nós tomávamos café da manhã juntos na casa dele. Eu lembro que Jake me apresentou aos anéis de cebola. Não acho que a gente tenha tocado junto, mas lembro de estarmos com nossas guitarras desplugadas, sem amplificador, praticando com elas no colo e aquecendo antes de um show.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que Jake E. Lee ficou tanto tempo sumido? Adrian Vandenberg responde
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

1 COMENTÁRIO

  1. um dos mais criminalmente subestimados guitarristas da história do rock, um pequeno genio das 6 cordas, criativo, sensivel, extremamente habilidoso e melódico, faz falta, mas muita falta ao cenário desde o fim do badlands

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades