Neil Young remove músicas do Spotify após exigência contra fake news sobre vacina

Cantor havia dito que retiraria suas canções da plataforma caso podcast de Joe Rogan, acusado de divulgar informações falsas desde o início da pandemia, fosse mantido no ar

Após o manifesto publicado na última segunda-feira (24), as músicas de Neil Young foram removidas do Spotify. O músico e a plataforma confirmaram a exclusão em notas publicadas separadamente.

Young criticou novamente o aplicativo em sua carta aberta. Além disso, agradeceu à gravadora, que o apoiou mesmo sabendo que a atitude ocasionaria em perdas financeiras.

“O Spotify representa 60% do streaming da minha música para ouvintes em todo o mundo, quase todos os discos que lancei estão disponíveis – a música da minha vida – uma grande perda para minha gravadora absorver.

Ainda assim, meus amigos da Warner Brothers Reprise me apoiaram, reconhecendo a ameaça que a desinformação do Covid no Spotify representava para o mundo – principalmente para nossos jovens que pensam que tudo o que ouvem no Spotify é verdade. Infelizmente, não é.”

- Advertisement -

Posteriormente, o músico ainda lamentou a posição de Daniel Ek, fundador da plataforma a quem considera um amigo, mas que não tomou qualquer atitude no sentido de impedir a disseminação de fake news.

Leia também:  John “Duff” Lowe, pianista do The Quarrymen, morre aos 81 anos

O que diz o Spotify

O Spotify também emitiu seu comunicado, que diz:

“Queremos que todo o conteúdo de música e áudio do mundo esteja disponível para os usuários do Spotify. Com isso vem uma grande responsabilidade em equilibrar a segurança para os ouvintes e a liberdade para os criadores.

Temos políticas de conteúdo detalhadas em vigor e removemos mais de 20 mil episódios de podcast relacionados ao Covid-19 desde o início da pandemia. Lamentamos a decisão de Neil de remover sua música do Spotify, mas esperamos recebê-lo de volta em breve.”

Neil Young, Joe Rogan e a pandemia

O principal alvo da ação de Neil Young é o podcast de Joe Rogan, humorista que vem sendo criticado por dar voz ao negacionismo desde o início da pandemia.

Em sua carta inicial, o músico havia dito:

“Estou fazendo isso porque o Spotify está espalhando informações falsas sobre vacinas, potencialmente causando mortes entre aqueles que acreditam nas desinformações que eles disseminam.

Por favor, ajam imediatamente e me mantenham informados. Quero todas as minhas músicas removidas da plataforma imediatamente. Eles podem ter Rogan (Joe Rogan, humorista e podcaster que vem sendo criticado por dar voz ao negacionismo desde o início da pandemia) ou Young. Não os dois.”

No fim do ano passado, 270 médicos, cientistas e especialistas na área da saúde assinaram carta aberta pedindo ao Spotify que excluísse das playlists o podcast The Joe Rogan Experience devido às “teorias da conspiração infundadas” do apresentador e “o histórico de transmissão de desinformação”.

Leia também:  Como a Marvel tem aproveitado para resetar seu Universo Cinematográfico

Não é a primeira vez que Neil Young pede a remoção de sua obra do Spotify. Em 2015, ele já as havia tirado desta e de outras plataformas de streaming em protesto pela baixa qualidade de áudio. A discografia retornou no ano seguinte.

Além de defender as vacinas publicamente, Young já declarou que não voltará a fazer turnês até que haja segurança para si e o público.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasNeil Young remove músicas do Spotify após exigência contra fake news sobre...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades