Por que os Beatles não seriam gigantes sem Paul McCartney, segundo Ringo Starr

“Se Paul não estivesse na banda, provavelmente teríamos feito só dois álbuns porque éramos preguiçosos, mas Paul é um workaholic”, refletiu o baterista

Não dá para imaginar os Beatles sem qualquer um de seus quatro integrantes. Praticamente todo fã concorda que Paul McCartney, John Lennon, George Harrison e Ringo Starr são igualmente importantes para a química da banda.

Porém, na visão de Starr, um desses músicos consegue se sobressair: McCartney. Em entrevista à KMRS, o baterista fez elogios à forma como o cantor/baixista comandava o grupo em termos criativos, sempre buscando produzir cada vez mais.

Inicialmente, durante a conversa, Ringo destacou o quanto era legal integrar os Beatles naquela época.

“Quando nós quatro tocávamos, era o melhor lugar do planeta para se estar. Além de me tornar famoso, estive em todos aqueles espaços, com a alegria de tocar com John, George e Paul. Tenho ótimas lembranças disso.”

Beatles e o workaholic Paul McCartney

Mas nem tudo são flores. Todas as conquistas dos Beatles vieram a partir de muito trabalho. E era nesse ponto que Paul se destacava.

“O outro lado da história é que trabalhamos muito duro. Eu estava dizendo a alguém outro dia: se Paul não estivesse na banda, provavelmente teríamos feito só dois álbuns porque éramos preguiçosos. Mas Paul é um workaholic. John e eu ficávamos à toa sentados no jardim. O telefone tocava e era ele, dizendo: ‘Ei, rapazes, vocês querem entrar? Vamos para o estúdio!’.”

Por fim, o baterista pontuou:

“Criamos três vezes mais música do que jamais faríamos sem ele, porque ele é um workaholic e adora seguir em frente. Quando chegamos lá, adoramos, claro. Mas no início, era: ‘oh, não, de novo não!’.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
158
Share