Cantora que gravou com Cradle of Filth e Satyricon é morta a flechadas na Noruega

Andrea Meyer Haugen, musicista bastante ativa no cenário do metal extremo, foi uma das cinco vítimas fatais de assassinato

A instrumentista e cantora alemã Andrea Meyer Haugen, 52 anos, foi uma das cinco vítimas fatais de um ataque ocorrido na última quarta-feira (13) em Kongsberg, Noruega. Espen Andersen Braathen, dinamarquês de 37 anos, assassinou a flechadas quatro mulheres e um homem, além de ter ferido outras três pessoas que não correm risco de morte.

Andrea Meyer Haugen comandava o projeto Aghast Manor, onde respondia por toda a produção. Também integrou o Hagalaz’ Runedance entre 1996 e 2002, cantando e tocando instrumentos percussivos.

Ainda participou do álbum “The Principle of Evil Made Flesh” (1994), do Cradle of Filth, além de “Nemesis Divina” (1996), do Satyricon. Ela foi casada com Samoth, guitarrista do Emperor, com quem teve uma filha chamada Alva.

A musicista também escreveu roteiros de filmes de terror e sátira, além de obras voltadas à poesia gótica e surreal. Era pagã e criticava publicamente o que considerava religiões patriarcais que inibem a natureza interior das pessoas. Ela escreveu um livro sobre espiritualidade e mitologia germânicas, “The Ancients Fire of Midgard”. Muitos de seus comentários de crítica social foram impressos em revistas alternativas e tabloides.

O autor dos ataques permanece detido provisoriamente. Ele passará por avaliação psiquiátrica. A hipótese de um ataque terrorista é estudada, mas perdeu força após novas informações sobre o caso terem sido divulgadas.

A polícia norueguesa está sendo criticada por conta da demora em agir. O governo anunciou que fará uma investigação para determinar se os órgãos de segurança foram eficientes no caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
271
Share