Por que “Powerage” é o melhor álbum do AC/DC, na opinião de Joe Perry

Guitarrista do Aerosmith declarou paixão pela banda australiana em artigo para revista

Joe Perry é um grande fã do AC/DC. Mais especificamente, o guitarrista do Aerosmith tem predileção pelo álbum “Powerage”, lançado em 1978 e com músicas como “Riff Raff”, “Sin City” e “Rock ‘n’ Roll Damnation”.

Em artigo para a Classic Rock Magazine, Perry falou sobre o disco e contou sobre sua relação com o AC/DC. O músico destacou que conheceu a banda dos irmãos Angus e Malcolm Young em uma turnê do próprio Aerosmith.

“Fui apresentado ao AC/DC quando tivemos a sorte de vê-los abrindo para nós na turnê ‘Draw the Line’, em 1977. Fiquei absolutamente maravilhado me tornei um grande fã desde então. Mesmo que você não tivesse ouvido as músicas antes, quando você os via ao vivo, levantavam a plateia. Inclusive eu.

Eles não precisavam de produção, nem de luzes: só de suas guitarras, amplificadores e bastante watts para destruir o lugar. Eram caras bem suaves nos bastidores, mas uma vez que pisavam no palco, incendiavam tudo. São rock ‘n’ roll no seu melhor, legítimos.”

Joe Perry, AC/DC e “Powerage”

O guitarrista, então, comentou sobre sua predileção por “Powerage” e pelo trabalho do grupo com Bon Scott, vocalista de seus primeiros álbuns, falecido em 1980.

“Todos os discos com Bon Scott são ótimos e ‘Powerage’ é, definitivamente, um dos meus favoritos. Ele destila perfeitamente tudo que gosto no rock ‘n’ roll em sua essência. Como guitarrista, obviamente, sou atraído pelos riffs e a maneira como Angus Young detona em cada solo. Mas então, você ouve as histórias que Bom tem a contar nas letras e isso é simplesmente maravilhoso.

Eu conheci Bon muito bem e passei mais do que algumas noites saindo com ele. Aquele cara era incrível. Alguns anos mais velho do que os outros, mas definitivamente fazia parte da família. Viveu a vida rock ‘n’ roll ao máximo. Quando você ouvia uma música como ‘Sin City’, sabia que ele tinha visto de tudo e entendia a vida. ‘It’s A Long Way To The Top’ não está no ‘Powerage’, claro, mas quando você ouvia, sabia que ele vivia e respirava aquele estilo.”

Embora outros discos do AC/DC tenham sido mais populares, “Powerage” certamente merece maior atenção, na visão de Joe.

“As pessoas conhecem mais ‘Highway to Hell‘ (1979) e ‘Back in Black‘ (1980) porque são os álbuns com as grandes músicas de rádio, mas há tantas canções ótimas no ‘Powerage’. Pessoas que realmente gostam de AC/DC entendem que é um clássico. A cada novo lançamento eles refinavam seu som básico, não tentavam inventar nada novo e, quando chegaram ao ‘Powerage’, as músicas estavam ficando cada vez melhores.

Eu tenho o disco em vinil e o tocava sem parar, virando e começando de novo. Nunca perdia sua potência. Essas podem não ser as músicas do AC/DC que você ouve no rádio ou nas jukeboxes em bares, mas ninguém faz rock ‘n’ roll melhor do que isso.”

Por fim, o integrante do Aerosmith deixou claro que também admira o trabalho do AC/DC com Brian Johnson no vocal.

“Vou assistir o AC/DC sempre que posso e eles ainda são uma grande banda. Brian Johnson tinha um grande papel a ocupar quando entrou, mas fez um trabalho incrível e eles seguiram detonando. Mas quando escuto ‘Powerage’, lembro daquela banda incrível que fez 30 ou 40 shows conosco na época e quebrava tudo todas as noites.

É um álbum brilhante, puro rock ‘n’ roll, nunca vai envelhecer.”

A edição 294 da Classic Rock Magazine traz uma matéria especial detalhando os últimos momentos do AC/DC ainda com Bon Scott na banda. A publicação pode ser adquirida no exterior, em formato digital, no site Magazines Direct.

1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
39
Share