O maior arrependimento de Kiko Loureiro com relação ao Angra

Guitarrista reconhece que não conseguiu "gerenciar pessoas diferentes para objetivo em comum"

Kiko Loureiro construiu uma carreira bastante sólida com o Angra. O guitarrista fez parte da banda brasileira de power metal de 1992 até 2015, quando saiu para juntar-se ao Megadeth.

Apesar do Angra ter se tornado um nome bastante popular do metal no Brasil – e em outras partes do mundo -, a trajetória do grupo, claro, não foi perfeita. No início de 2020, o músico revelou, em um vídeo divulgado em seu próprio canal de YouTube, qual o seu maior arrependimento relacionado à banda.

- Advertisement -

A filmagem foi conduzida em formato de entrevista pelo apresentador de outro canal, o Duke TV. As falas foram transcritas pelo site Ultimate Guitar.

O entrevistador perguntou, inicialmente, qual foi o maior arrependimento de Kiko Loureiro no que diz respeito ao Angra. Ele respondeu:

“Acho que o maior arrependimento foi não conseguir gerenciar pessoas diferentes para um objetivo em comum.”

Leia também:  Iron Maiden tentou ser prog com teclados de “Seventh Son”? Steve Harris responde

O músico completou, provavelmente, referindo-se à formação original, que também envolvia o vocalista Andre Matos, o baixista Luis Mariutti, o baterista Ricardo Confessori e o também guitarrista Rafael Bittencourt, único a seguir no Angra:

“Fizemos isso por 9 anos, o que foi mais tempo que os Beatles, certo? Portanto, é mais que os Beatles. Não com o mesmo sucesso (risos), mas durou mais. Isso prova que é muito difícil manter quatro a cinco pessoas juntas pelo mesmo objetivo.”

Ao falar sobre Andre Matos, que integrou o Angra na década de 1990, Kiko Loureiro reforçou que eles não se falavam desde 1999 – “é inacreditável até para mim”, admite – e que, curiosamente, residiram em países muito próximos quando deixaram o Brasil, tempos depois.

“Ele foi para a Suécia e eu para a Finlândia, que é quase a mesma coisa.”

Respondendo a um comentário do entrevistador, que apontou Andre Matos como o líder do Angra no início, Kiko Loureiro declarou:

“Ele era o líder para os fãs, mas não dentro da banda. Liderança é diferente de ser o vocalista. Você precisa ter todas as habilidades para liderar. Claro, você trabalha mais que todos. Naquela época, eu era tímido. Ser líder não significa que só você dita as regras, mas você ajuda a conduzir a banda para algum lugar, junta todo mundo e tira o melhor de todos.”

Kiko Loureiro e a relação atual com o Angra

A ligação de Kiko Loureiro com o Angra é tão forte que permaneceu até mesmo depois de sua saída da banda. Em entrevista ao jornal O Globo, em 2019, o guitarrista revelou que seguiu participando das decisões do grupo, mesmo após ter saído para juntar-se ao Megadeth.

“Eu não estou mais no dia a dia, mas ainda sou, digamos, do conselho, ajudo a tomar decisões. Aquilo ali é a minha vida, desde que tinha 17 anos.”

Leia também:  O detalhe em que Mick Jagger supera Paul McCartney, segundo Sammy Hagar

** Foto da matéria: Ifusha Kalina / divulgação

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO maior arrependimento de Kiko Loureiro com relação ao Angra
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades