Andreas Kisser afirma que show do Kiss no Brasil em 1983 mudou a vida dele

A primeira passagem do Kiss pelo Brasil, com a turnê ‘Creatures of the Night’, em 1983, mudou a vida de Andreas Kisser, então com 14 anos. O guitarrista do Sepultura falou sobre a influência da banda em entrevista ao site dos amplificadores Orange.

“Minhas duas bandas principais são Kiss e Queen. O Queen veio ao Brasil em 1981, mas minha mãe não deixou eu ir ao show porque eu era novo demais. Daí, o Kiss veio em 1983 e foi meu primeiro show”, afirmou.

- Advertisement -

O músico comenta que a experiência estabeleceu um novo padrão em sua vida. “Poder ver o Kiss ao vivo na turnê ‘Creatures of the Night’ foi insano, mudou minha vida. É por causa disso que estou aqui. Vê-los na minha cidade, no estádio do meu time de futebol (Morumbi, do São Paulo), como eu disse, mudou tudo”, disse.

– Veja: 10 músicas do Kiss que têm proximidade com o metal

Naturalmente, outras influências apareceram na vida de Andreas. “Quando comecei a tocar, minha meta era aprender ‘Stairway to Heaven’ (Led Zeppelin). Minha professora me ensinou o básico e um bom terreno para aprender gradualmente. Comecei com música brasileira acústica antes de seguir em frente. Expandi para bandas como Iron Maiden, Judas Priest, Black Sabbath, Deep Purple, Jimi Hendrix e Cream. Também sou inspirado pela música brasileira e quando fui ficando mais velho, peguei muita coisa antiga do Brasil que influenciou o Sepultura”, afirmou.

Curiosamente, as influências iniciais de Andreas Kisser fogem um pouco da música pesada. Além de Beatles, ele gostava de ouvir Roberto Carlos e Tonico e Tinoco.

Resenha: Sepultura volta a surpreender com o novo álbum Quadra

Kiss no Brasil em 1983

A primeira turnê do Kiss pelo Brasil, certamente, influenciou muita gente a gostar de música pesada. Na época, a banda estava promovendo um de seus álbuns mais pesados, o já citado ‘Creatures of the Night’ (1982), além de ter cenografia e performance musical semelhantes às bandas de heavy metal daquele período.

O show realizado no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, quebrou o recorde de público para uma apresentação solo: aproximadamente 250 mil pessoas presenciaram a apresentação. Outras 30 mil e 60 mil assistiram às performances em Belo Horizonte e São Paulo, respectivamente.

O cenário não era o mesmo em outros locais do mundo. Em baixa, o Kiss tocou para locais vazios pela América do Norte, recusando-se a migrar para teatros e casas menores. O público girava, em média, entre 3 a 6 mil pessoas, com exceção das datas no Brasil, único país da América do Sul pelo qual a tour passou.

– Vinnie Vincent revela as músicas que traria ao Kiss após ‘Lick It Up’

Leia também:  Justiça nega pedido do Kiss para arquivar processo por morte de técnico de guitarra

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAndreas Kisser afirma que show do Kiss no Brasil em 1983 mudou...
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades