O álbum que foi o “momento Radiohead” do Iron Maiden, segundo Bruce Dickinson

Disco dividiu opiniões entre os fãs ao mostrar a banda abraçando de vez seu lado progressivo

O álbum A Matter of Life and Death representa um momento bastante divisivo na carreira do Iron Maiden. Embora fosse clara a inclinação para uma sonoridade prog nos discos anteriores, foi aqui que a banda abraçou de vez o estilo, transformando-o na base sonora, ao invés de apenas mais uma influência.

O próprio sexteto tinha noção disso enquanto preparava o play. Não à toa, Bruce Dickinson possuía uma visão bastante peculiar sobre ele, explicitada durante uma das entrevistas de divulgação, realizadas em 2006.

- Advertisement -

Ele disse, conforme resgate da Metal Hammer:

“Acredito que demos um grande salto evolutivo desta vez. Este é o nosso momento Radiohead! Todos estavam dispostos a levar as coisas até onde pudessem, mas o disco foi fácil de fazer. Kevin Shirley fez um trabalho incrível como produtor – tão bom que Steve Harris nem atuou tanto como coprodutor desta vez. Estou muito orgulhoso da forma como todos tocaram – é brilhante. E eu não fui tão mal para um cantor de meio período!”

A referência final se dá pelo fato de que, no período, o frontman acumulava a função do microfone com a de piloto aéreo. Ele ainda garantiu que o trabalho fluiu tão bem que sobrou tempo de estúdio.

“Você sabe o quão extraordinário foi esse processo? Nós terminamos o disco com dois meses de sobra. Foi tão rápido. Acabamos pagando por esse tempo extra de estúdio, mesmo não precisando. Que desperdício, hein?”

Steve Harris e Dream Theater

Leia também:  Suicidal Tendencies encerra com união total o Esquenta Rockfun Fest em SP

Também presente na conversa, o baixista e líder Steve Harris fez menção a outra banda, com a qual o público estabeleceu algumas referências à época.

“Muitas das coisas que você ouve são os takes originais. Tivemos que pressionar as pessoas para conseguir performances? Não. Todos estavam na mesma sintonia – todos queríamos levar as coisas a um novo nível. É mais pesado do que nunca, mas também muito progressivo. E não quero dizer isso no sentido moderno, mas como o Dream Theater, mais no estilo dos anos 1970.”

Iron Maiden e “A Matter of Life and Death”

14º álbum do Iron Maiden, “A Matter of Life and Death” não é conceitual, mas possui foco em temáticas de guerra e religião. Visando um som mais próximo do que seria ao vivo, o disco não foi masterizado. Algumas faixas tiveram até mesmo o primeiro take aproveitado para o tracklist.

Foi o primeiro trabalho do grupo a entrar no Top 10 dos Estados Unidos, além de alcançar o número 1 na Alemanha, Itália, Finlândia, Polônia e Suécia. Ganhou oito discos de ouro (incluindo Brasil) e um de platina.

A primeira parte da turnê de divulgação contou com a execução de todo o tracklist na ordem original. A ideia causou polêmica junto ao público, com direito a Bruce Dickinson ter rasgado um cartaz pedindo mais clássicos durante uma apresentação.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO álbum que foi o “momento Radiohead” do Iron Maiden, segundo Bruce...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades