Cover de Tim Maia por João Gordo rende provocação de Digão e resposta

Vocalista e guitarrista do Raimundos criticou líder do Ratos de Porão por explorar temática nordestina em releitura de “Coroné Antonio Bento”

João Gordo disponibilizou na última sexta-feira (17) uma versão punk para “Coroné Antonio Bento”. Composta por João do Vale e Luiz Wanderley, a faixa ficou famosa na voz de Tim Maia em 1970. Quem não gostou da escolha da releitura foi Digão, vocalista e guitarrista do Raimundos, que provocou o líder do Ratos de Porão e recebeu uma resposta. 

­

- Advertisement -

Tudo começou quando a 89 FM A Rádio Rock publicou a respeito da regravação. Por meio das redes sociais, a emissora compartilhou o lançamento, junto da capa, idealizada pelo ilustrador LOUD! e formada por um desenho de coronel no sertão nordestino.

Então, Digão, que segue a página, republicou a postagem em seu próprio perfil e escreveu:

“Quem desdenha…quer comprar. Nada como o tempo para mostrar o caráter das pessoas! Ps: Que fique claro que é direcionado somente a esse sujeito aí! Nunca foi por ideologia, é inveja mesmo.”

Com a legenda, o músico quis criticar João por ter explorado a temática nordestina em “Coroné Antonio Bento”. Isso porque o vocalista e guitarrista do Raimundos reconhece frequentemente a influência da música local em seu próprio trabalho, sobretudo do forró.

Assim, o líder do Ratos de Porão devolveu a provocação. Também no Instagram, postou uma foto do Rei Tut, personagem da série do Batman que trabalhava como professor até passar a acreditar ser um governante egípcio, e afirmou:

“Rei Tut fascista fica p#to por perder monopolio de música nordestina ah hahahahahahahahahahah.”

Já na seção de comentários, após pergunta de Dinho Ouro Preto (Capital Inicial), resumiu a “treta” da seguinte forma:

“O idiota ficou p#to porque lancei uma música do Tim Maia com temática nordestina. Publicou foto minha falando que sou invejoso e copiei o Raimundos.”

Histórico de Digão e João Gordo

Digão e João Gordo já têm um histórico de briga envolvendo questões políticas. Em 2021, quando foi chamado de “roqueiro reaça” durante entrevista por Pe Lu, integrante do Restart, o líder do Raimundos rebateu não apenas ele, como também outros músicos que já o criticaram, como Lucas Silveira (Fresno) e o próprio Gordo.

O caso gerou tensão interna no Raimundos a ponto do saudoso baixista Canisso dizer que o colega estava “surtando” em meio à pandemia”, “brigando com metade da cena” e “chamando até o João Gordo de pela-saco”.

No ano seguinte, em setembro de 2022, Digão respondeu a um fã no Instagram sobre o apoio dado pelo cantor do Ratos de Porão ao candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), dizendo:

“Tá rotulando o pensamento roqueiro agora!? O mundo mudou amigo, antes o povo era unido contra o sistema, vide o Ratos nos anos 80 ‘Cruscificados pelo Sistema’ (sic) e hoje são fervorosos apoiadores do maior bandido político da história brasileira, MTST, enfim! Sou obrigado a escolher um lado e jamais vou estar ao lado de bandido condenado mau caráter!”

Leia também:  Compositor de “Suspicious Minds” e “Always on My Mind” morre aos 83 anos

Gordo viu o comentário, tirou print e colocou em seu Instagram com a legenda “#Reituti o paladino anti sistema”. Logo em seguida elaborou num post sobre a alcunha, que faz referência ao vilão do Batman crente em ser um faraó do Egito Antigo:

“Rei Tut o roqueiro reaça começou a latir do nada, meio dódoi né? Sempre foi tirado e motivo de chacota na nossa banca de drogados comunistas from hell [do inferno]. Tenho dó…”

Digão chegou a responder num Story fazendo referência à quantidade de drogas consumidas por Gordo, além do tamanho de sua barriga.

“O João ‘pela-saco’ Gordo me chamar de ‘Rei Tut’ é no mínimo hilário ou foram as montanhas de maconha que ele fumou na vida ou a falta de um espelho grande o suficiente que ele possa enxergar o tamanho da pança dele! Ficou brabinho João Bobo?”

À época, ao Uol, o vocalista do Ratos de Porão afirmou que apoiou Lula nas eleições, depois de votar nulo várias vezes, para o atual presidente, Jair Bolsonaro, “não ganhar de novo”. Para o mesmo portal, Digão afirmou que não era bolsonarista, mas alegou que poderia votar nele. “Eu vou lá e vou votar em quem eu acho menos pior. Se o Bolsonaro é o único que tem, então, vou ter que votar nele”, comentou.

Não demorou para que Jão, guitarrista do Ratos de Porão, convidasse o líder do Raimundos para resolver as diferenças entre as bandas “na porrada”. Diante do cenário, Digão negou ter falado mal do Ratos de Porão e disse ter se posicionado após críticas feitas por Gordo:

“Eu não falei mal do Ratos, tá? Você entendeu errado. Só rebati uma fala do seu companheiro de banda que, infelizmente, já tem um tempo que ele está me atacando e eu, velho, não tenho sangue de barata e vou rebater mesmo. (A fala) É onde ele fala que não existe roqueiro de direita, enfim, que roqueiro de verdade é só de esquerda. Acho isso uma babaquice porque o rock é plural, ele pode ser o que ele quiser. Não tem essa. Não tem rótulo. E você sabe muito bem disso. Isso ofende a história do rock mundial, do punk rock mundial. Inclusive, a banda ícone do punk rock, que é o Ramones, o Johnny Ramone é totalmente de direita. Graças a isso existem as diferenças e a gente evolui com isso.”

Sobre “Brutal Brega”

Em 2022, João Gordo havia lançado em parceria com o guitarrista Val Santos (Toyshop, Viper) o álbum “Brutal Brega”. Com 12 faixas, o disco transformou clássicos nacionais geralmente definidos como “brega” em roupagem voltada ao punk rock. 

Agora, o material ganhará um novo volume, descrito como “um tributo à MPB”. Canções de Caetano Veloso, Belchior, Luiz Gonzaga, Moraes Moreira, Kleiton e Kledir e mais, além de “Coroné Antonio Bento”, formarão o tracklist do segundo volume, intitulado “MPB Mode”. A expectativa é de que saia no segundo semestre.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasCover de Tim Maia por João Gordo rende provocação de Digão e...
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades