Bruno Mars faz show 99% perfeito em sua 1ª noite no The Town

Embora espetáculo atual tenha sido desenhado para espaços menores, astro e banda afiada fizeram performance tecnicamente impecável e repleta de carisma

Atenção: este texto é apenas sobre o show de Bruno Mars neste domingo (3) de The Town. Clique aqui para conferir artigo com a cobertura completa do site, com outras apresentações e experiência geral.

Bruno Mars fez não apenas o show mais aguardado desta edição inaugural de The Town. Sua apresentação era talvez a mais esperada de todos os eventos de Roberto Medina desde a volta do Rock in Rio ao Brasil, em 2011. Não à toa, foi o único headliner entre tais festivais a fechar duas datas na programação — exceção feita a Maroon 5 tendo que substituir uma enferma Lady Gaga às pressas, esta foi a primeira vez que isso aconteceu desde 1991.

- Advertisement -

A expectativa foi correspondida, apesar de nuances precisarem ser destacadas. Deixo claro, antes de tudo, que uma apresentação tecnicamente impecável foi oferecida por Mars e sua banda de apoio composta por Luke Kennedy Aiono (guitarra), Jamareo Artis (baixo), Eric Hernandez (bateria), John Fossit (teclados), Kameron Whalum (trombone e backing vocals), James “Jimmy” King (trompete e backing vocals), Dwayne Dugger (saxofone) e Philip Lawrence (backing vocals).

https://www.instagram.com/p/CwwLcXQgXVU/

Bruno, além de um senhor vocalista, é um performer completo — dança, se comunica e tem carisma raro entre popstars contemporâneos. Como bom multi-instrumentista que é, fez questão de se cercar de músicos incríveis. Vale destacar que a rotatividade em seu grupo de apoio é bem baixa, com vários integrantes permanecendo ao lado dele desde o início, um indicativo de que ele também é um bom chefe.

Foto: Daniel Ramos

Porém — e este é um “porém” bem pequeno, já que isso não atrapalhou a experiência de modo geral —, seu espetáculo atual parece ter sido desenhado para as apresentações como residente que tem realizado em Las Vegas. Espaços grandes, todavia, mais intimistas que Interlagos para 100 mil pessoas.

https://www.instagram.com/p/CwwNlFCgSbF/

Isso pode ser notado em algumas escolhas de repertório que deixaram o público ligeiramente aéreo em certos momentos. Alguns exemplos de números que funcionam melhor em seu espetáculo como residente nos EUA do que em um superfestival como o The Town:

  • a altamente noventista “Calling All My Lovelies” (apesar do momento de puro carisma com Bruno falando “quero você gatinha” e se chamando de Bruninho);
  • a jam estendida na segunda metade de “Billionaire” (canção muito conhecida no país após ter ganho versão em português de, veja só, Claudia Leitte);
  • a enroladíssima interação “vocês estão muito quietos, vamos ficar quietos também” de “Runaway Baby”;
  • o compilado de hits encurtados no teclado iniciando em “F*ck You” (de CeeLo Green, mas coescrita e coproduzida por Mars) e terminando na extremamente cantada pela plateia “Leave the Door Open” — valeria a pena, inclusive, tocar na íntegra algumas das canções deste medley, até porque muitos fãs adorariam ouvir um pouco mais de Silk Sonic, projeto do astro com Anderson Paak.
https://www.instagram.com/p/CwwTvZUAQYL/

É caçar pelo em ovo, há de se reconhecer. Todo o resto beirou a perfeição. 99% é muita coisa. Nota 9,9 em 10, exceção feita a programas de auditório da TV Globo, vale demais.

Mars, é importante observar, adapta a máxima “você é o que você come” para a audição: ele “é” o que escuta por toda a vida. Seu som transpira Motown e especialmente R&B noventista, lado este assumido ainda mais a partir de seu álbum solo mais recente, “24K Magic” (2016). É meio brega — e é exatamente por isso que é muito bom. A fórmula já conhecida ganha nova roupagem e até alguns contornos reggae aqui, pop contemporâneo acolá de um músico que está entre os melhores do planeta no que faz. Como cereja de bolo, um já mencionado carisma que o levou a até quebrar seu protocolo e atender a um pedido dos fãs brasileiros para tocar “It Will Rain”, fora do repertório atual. Não tem como dar errado.

https://www.instagram.com/p/CwwP66KgcNR/

Alguns momentos de destaque se deram durante a fofa “Treasure”, o blues-reggae “Liquor Store Blues” (ainda que apenas um trecho), as demonstrações de potência no gogó em “Versace on the Floor”, o trecho de “Evidências” (Chitãozinho e Xororó) executado pelo tecladista John Fossitt e o acionamento final da metralhadora de hits com “When I Was Your Man”, “Locked Out of Heaven”, “Just the Way You Are” e “Uptown Funk”. Mas a apresentação inteira é um deleite para quem ama música independentemente de gêneros.

Foto: Daniel Ramos

Faz muito bem ter alguém como Mars entre os maiores popstars do planeta. Seu show se diferencia por ser 100% ao vivo e apostar muito mais na performance musical do que no visual, como figurinos elaborados ou artes cinematográficas em telão. Temos Bruno, seus músicos de apoio, iluminação caprichada, um pouco de fumaça e é isso. Precisa de mais?

https://www.instagram.com/p/CwwSxJCgh2I/

Repertório — Bruno Mars no The Town

  1. 24K Magic
  2. Finesse
  3. Treasure
  4. Liquor Store Blues (trecho)
  5. Billionaire
  6. Calling All My Lovelies / Wake Up in the Sky
  7. That’s What I Like
  8. Please Me
  9. Pure Imagination (instrumental)
  10. Versace on the Floor
  11. It Will Rain
  12. Marry You
  13. Runaway Baby
  14. F*ck You / Young Wild and Free / Grenade / Talking to the Moon / Nothin’ on You / Leave the Door Open
  15. When I Was Your Man
  16. Evidências / Still D.R.E
    (instrumental)
  17. Locked Out of Heaven
  18. Just the Way You Are

Bis:

  1. Uptown Funk

Atenção: este texto é apenas sobre o show de Bruno Mars neste domingo (3) de The Town. Clique aqui para conferir artigo com a cobertura completa do site, com outras apresentações e experiência geral.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioResenhasResenhas de showsBruno Mars faz show 99% perfeito em sua 1ª noite no The...
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades