Punk não começou com Patti Smith, segundo John Lydon

Vocalista do Public Image Ltd não gosta de como jornalistas americanos desconsideram a influência do glam rock no punk inglês

As origens do punk são variadas, com muitos artistas creditados sendo precursores do movimento. Entretanto, uma das pessoas em particular que não pode ser considerada inventora do subgênero é Patti Smith. Ao menos essa é a opinião de John Lydon.

O vocalista do Public Image Ltd está com disco novo na praça, “End of World”, e deu uma entrevista para o tabloide inglês The Sun. Na ocasião, a qual reclamou de como o surgimento do punk é caracterizado nos Estados Unidos:

“Eu já ouvi um monte de jornalista americano fingindo que a influência do punk veio de Nova York. Oi? Bandas como Sweet, com ‘Ballroom Blitz’, e Mud com ‘Tiger Feet’ — isso é o que era!”

- Advertisement -

Lydon, então, listou artistas associados ao glam rock dos anos 1970, que serviram de inspiração para o punk inglês:

“T. Rex, David Bowie, Slade, Mott The Hoople, The Alex Harvey Band — a influência deles foi enorme. E eles tentam apagar isso e botar tudo em torno de Patti Smith. É tão errado!”

Cliff Richard do punk

O resto da entrevista trouxe John Lydon falando mal dos Ramones e seu visual, os culpando pela dogmatização do punk. Também tirou sarro do supergrupo Generation Sex, formado recentemente por seus ex-companheiros do Sex Pistols Steve Jones (guitarra) e Paul Cook (bateria) com Billy Idol:

“Boa sorte a eles, mas rapaziada, se acertem. O lado Pistols da coisa eles nunca entenderam direito e Billy precisou entrar pra ser o tradutor. No que o pobre Billy se meteu? A gente costumava chamar ele de Cliff Richard do punk, ele era um cara tão legal e fácil de se dar bem. Ele e Sid [Vicious, baixista] costumavam ser bem bobalhões sobre quem conseguia fazer a melhor cara de Elvis Presley.”

John Lydon e Public Image Ltd

“End of World”, novo álbum do PiL, saiu na última sexta-feira (11). É o primeiro trabalho do grupo no formato desde “What the World Needs Now…” (2015). O disco é dedicado à memória de Nora Forster, esposa de John Lydon, falecida no último dia 5 de abril.

Leia também:  Tarja e Marko Hietala começam turnê conjunta; veja vídeos e setlist

Entre suas 13 faixas está a canção “Hawaii”, homenagem do vocalista à mulher, já divulgada em fevereiro durante a campanha da banda para representar a Irlanda no Eurovision Song Contest. O grupo sai em turnê pela Europa no mês que vem.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPunk não começou com Patti Smith, segundo John Lydon
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades