Por que Carmine Appice recusou convite para entrar no Black Sabbath

Baterista acabou optando por ficar na banda de Rod Stewart, que estava rendendo muito mais à época

Quando falamos sobre bateristas do Black Sabbath, a família Appice marca presença através de Vinny. O músico, que depois seguiria fazendo história com o Dio e atualmente comanda as baquetas do Last in Line, gravou os álbuns “The Mob Rules” (1981), “Live Evil” (1982) e “Dehumanizer” (1992), além de “The Devil You Know” (2009), sob o nome Heaven and Hell.

Porém, seu irmão mais velho, Carmine, foi considerado para a vaga antes. Durante entrevista ao Ultimate Guitar, ele relembrou a abordagem, ocorrida no início dos anos 1980.

“Eles me procuraram, mas na época eu estava tocando com Rod Stewart. Lotávamos shows para 20 mil pessoas, em média. Meu assessor, que trabalhava para a Warner Brothers, gravadora do Sabbath, disse: ‘Carmine, o Sabbath está procurando um baterista. Você consideraria?’. Mas na época, eles não estavam indo bem, não conseguiam lotar uma noite sequer nos mesmos lugares que Rod fechava seis seguidas. Além disso, com Rod eu tinha uma porcentagem da renda, então isso era bom para mim também.”

- Advertisement -

Mesmo assim, a família se beneficiou da situação.

“Eles ouviram o disco que meu irmão gravou com Rick Derringer e adoraram o som dele. Assim, as conexões foram feitas e, quando Tony Iommi se encontrou com Vinny, disse que estava ouvindo aquele álbum constantemente. No final das contas, foi bom que Vinny conseguiu a vaga, porque isso deu início à sua carreira. Mesmo tendo tocado com Rick Derringer, para Vinny, foi importante e deu a ele uma grande vantagem.”

Carmine Appice no Black Sabbath?

A seguir, Carmine Appice especulou o que poderia ter acontecido com o Black Sabbath em termos musicais caso ele tivesse entrado.

“Eu poderia ter trazido alguns sons de bateria diferentes, além de ter contribuído com a parte criativa. Em praticamente todas as bandas que estive, acabei me envolvendo com as composições, não só com a bateria. Há algumas semelhanças entre o meu estilo e o do meu irmão, mas também muitas diferenças. É sabido que influenciei Vinny, mas ele faz o que quer.”

Alguns anos mais tarde, Carmine Appice se juntaria a Ozzy Osbourne para a turnê de divulgação do álbum “Bark at the Moon” (1983) – ele aparece no videoclipe da faixa-título, gravada em estúdio por Tommy Aldridge. A parceria durou pouco, se encerrando após um choque de egos. O baterista era uma estrela muito grande para figurar como mero músico de apoio.

Leia também:  A música do Iron Maiden mais difícil de cantar, segundo Bruce Dickinson

Curiosamente, Carmine chegou a tocar uma música ao vivo com o Black Sabbath. No último show da turnê de “Dehumanizer”, realizado dia 13 de novembro de 1992 em Oakland, Califórnia, ele assumiu o kit para a execução de “Paranoid”. Foi a derradeira apresentação de Ronnie James Dio com a banda, excetuando a era em que o quarteto se chamou Heaven and Hell.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que Carmine Appice recusou convite para entrar no Black Sabbath
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades