Noel Gallagher faz em “Council Skies” seu 1º disco que não dá saudade do Oasis

Músico parece mais confortável com si e capaz de escrever canções boas o bastante para não soarem como sobras da banda anterior

Uma verdade inconveniente sobre todo lançamento dos irmãos Liam e Noel Gallagher após o fim do Oasis é: não importa a qualidade, a sensação ao final de uma audição é saudades da banda inglesa.

Isso vale para os três primeiros discos do guitarrista e cantor com sua banda de apoio, o High Flying Birds – “Noel Gallagher’s High Flying Birds” (2011), “Chasing Yesterday” (2015) e “Who Built the Moon?” (2017). Em certos momentos, tais trabalhos recapturaram um pouco da magia, mas se provam ao final insuficientes.

- Advertisement -

Entretanto, o novo “Council Skies” é o primeiro disco do artista de Manchester que não soa assombrado pelo espectro de sua ex-banda.

Ainda durante o lançamento de “Who Built the Moon?”, ele explicou em entrevistas como seu processo de composição havia mudado sob encorajamento do produtor Dave Holmes. Antes do álbum de 2017, Noel criava todas as músicas no violão e chegava no estúdio com elas já prontas. Isso não oferecia muito espaço para o grupo de apoio dar qualquer tipo de contribuição além de tocar em volta. 

Embora “Who Built the Moon?” seja marcado por sua estranheza – Gallagher claramente está fora de sua zona de conforto e o material sofre por isso –, “Council Skies” traz uma doçura e melancolia inerentes às composições que remetem à era de ouro dos Kinks nos anos 1960.

Leia também:  Álbum em tributo a Chet Atkins reunirá Eric Clapton, James Taylor e mais

Este não é um disco de rock, per se. Por mais que ainda existam muitas faixas remetentes ao passado de Noel, “Council Skies” soa como um trabalho bem pensado, e não um apanhado de canções sem oportunidade de aparecer em lados B do Oasis.

Vale destacar a presença de um convidado ilustre no álbum. Johnny Marr, ex-guitarrista dos Smiths e quase um mentor de Noel na cena de Manchester, aparece em três faixas; inclusive nos grandes destaques do disco, os singles “Pretty Boy” e “Open the Door, See What You Find”.

É curioso que, em meio a tanta conversa sobre uma volta do Oasis, Noel Gallagher tenha gravado o disco no qual se mostra mais confortável com si mesmo como artista solo. Em “Council Skies”, ele explora suas influências de uma maneira coerente e empolgante, algo não visto até então.

*“Council Skies” será lançado nesta sexta-feira (2) em todas as plataformas digitais. Clique aqui para fazer o pré-save.

Noel Gallagher’s High Flying Birds – “Council Skies”

  1. I’m Not Giving Up Tonight
  2. Pretty Boy
  3. Dead To The World
  4. Open The Door, See What You Find
  5. Trying To Find A World That’s Been And Gone
  6. Easy Now
  7. Council Skies
  8. There She Blows!
  9. Love Is A Rich Man
  10. Think Of A Number
  11. We’re Gonna Get There In The End (faixa bônus)
Leia também:  Mdou Moctar anuncia novo álbum “Funeral for Justice” e lança single

Faixas extras no disco 2 da versão deluxe

  1. Don’t Stop…
  2. We’re Gonna Get There In The End
  3. Mind Games
  4. Pretty Boy’ (Instrumental)
  5. Dead To The World (Instrumental)
  6. Council Skies (Instrumental)
  7. Think Of A Number (Instrumental)
  8. I’m Not Giving Up Tonight (David Holmes Remix)
  9. Think Of A Number (Pet Shop Boys Magic Eye 12” Remix)
  10. Pretty Boy (Robert Smith Remix)
  11. Council Skies (The Reflex Revision)
  12. Flying On The Ground (Radio 2 Session, 08.09.21)
  13. You Ain’t Goin’ Nowhere (Radio 2 Session, 08.09.21)
  14. Live Forever (Radio 2 Session, 08.09.21)

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioLançamentosNoel Gallagher faz em “Council Skies” seu 1º disco que não dá...
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

1 COMENTÁRIO

  1. muito bom…a canção nome do albúm é fenomenal, traz uma mistura bem elaborada orquestrada e muito sofisticada…há tempos não aparecia uma balada de rolar por horas sem parar….sonoridade 1000.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades