A banda que estourou do nada graças a “Beavis and Butt-Head”, segundo Kip Winger

Músico e banda que leva seu sobrenome sofreram com o caminho inverso, tendo a carreira praticamente encerrada pela animação

Além dos arremessos de dardos de Lars Ulrich, imortalizados no clipe de “Nothing Else Matters” (Metallica), o Winger teve como grande artífice de sua queda o desenho “Beavis and Butt-Head”. A banda era ridicularizada na série animada da MTV com o personagem Stewart Stevenson, vítima de bullying dos protagonistas, usando uma camiseta com seu nome.

Talvez quem acompanha a realidade atual da indústria possa achar um exagero determinar esses fatores como tão decisivos. Porém, o impacto do canal televisivo à época era gigantesco. A ponto de, como o próprio Kip Winger lembra, a carreira de outro grupo ter sido impactada positivamente pela mesma produção. A declaração foi concedida ao The Metal Voice.

“Quando Beavis e Butt-Head disseram: ‘oh, White Zombie é legal’, eles ganharam disco triplo de platina do dia para a noite. A série foi o maior sucesso da história da MTV, então muitas pessoas se beneficiaram dela. Mas nós éramos representados pela camiseta do cara nerd que era zoado. Há muitas outras bandas que poderiam ter sido mais adequadas para esse papel.”

- Advertisement -

O músico chegou a conversar com o criador do desenho anos depois. Mas o dano já estava feito.

“Eu falei com Mike Judge por e-mail em um ponto e ele disse que foi algo aleatório, simplesmente aconteceu. Acho que ele inadvertidamente nos escolheu por causa do videoclipe do Metallica. Mas disse que foi apenas azar, um momento ruim.”

Mesmo assim, Winger reconhece que o hard rock oitentista estava com os dias contados àquela altura.

Leia também:  Pearl Jam declara apoio a mulher agredida por soldado na Irlanda

“Não acho que os anos 80 teriam sobrevivido por muito mais tempo. No nosso caso, chegamos um pouco tarde demais. Eu conto muito essa história. Mudei-me para o Novo México, perdemos nosso contrato com a gravadora, tudo acabou. A seguir, minha primeira esposa faleceu em um acidente de carro e eu fiquei totalmente perdido. Resolvi escrever e começar a estudar música clássica de verdade. Eu sempre quis fazer isso, mas nunca senti que estava ao meu alcance. Foi quando pensei ‘Quer saber? Vou fazer isso’. Estava com tempo, não havia shows a serem feitos por anos. O único show que fiz nessa época foi na Porter’s Bookstore às 16h tocando para 10 pessoas, depois de um ano antes de ser a atração principal para entre 8 e 10 mil pessoas.”

Winger e “Seven”

“Seven”, novo álbum do Winger, sai no próximo dia 5 de maio. O trabalho conta com 12 faixas. Além de cantar e gravar o baixo, Kip também foi o responsável pela produção.

A volta de “Beavis and Butt-Head”

Após anos de hiato, “Beavis and Butt-Head” retornou recentemente através do streaming Paramount +. Além de novas temporadas da série, a dupla já protagonizou um novo filme e possui outros em preparativos para os próximos anos.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA banda que estourou do nada graças a “Beavis and Butt-Head”, segundo...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades