As pessoas reais que inspiraram o filme “Babilônia”

Longa da era silenciosa do cinema tem muitos personagens fictícios – mas baseados em várias figuras que brilharam nesta época

Se você sempre teve curiosidade de saber como foi a famosa era silenciosa do cinema, o filme “Babilônia” é uma ótima oportunidade. Com a presença de nomes como Brad Pitt e Margot Robbie, o longa explora justamente esta conhecida época da indústria, que teve o seu auge durante os anos 1920.

Muitos dos personagens de “Babilônia” não existiram na realidade – as poucas exceções são o produtor e executivo Irving Thalberg e a atriz Marion Davis -, mas ainda assim, foram inspirados em figuras famosas desta época?

- Advertisement -

Afinal de contas, quais são elas, exatamente? É o que vamos abordar na lista abaixo. As informações são dos sites ScreenCrush, IndieWire e Uproxx.

As pessoas reais no filme “Babilônia”

Jack Conrad

Vamos começar por Jack Conrad, o personagem de Brad Pitt em “Babilônia”. No filme, ele é uma das principais estrelas da era silenciosa do cinema, mas vê a carreira entrar em turbulência com o início da transição para os filmes com áudio.

Além disso, Conrad também é conhecido em “Babilônia” por conta das festas extravagantes que promove em Hollywood.

A grande inspiração por trás do personagem é o ator John Gilbert, que foi uma das principais estrelas da era silenciosa do cinema. Além disso, seu característico visual foi fielmente reproduzido em Jack Conrad.

John Gilbert chegou a ser o ator mais bem pago de Hollywood, mas assim como o personagem que se inspirou nele, viu sua carreira declinar com a transição para os filmes com áudio. Especialistas afirmam que o ator nunca mais foi o mesmo por sabotagens – já que tinha um salário enorme –, seu alcoolismo e por não ter se adaptado à mudança.  

Nellie LaRoy

Interpretada por Margot Robbie em “Babilônia”, Nellie LaRoy é uma jovem atriz em ascensão, mas que também passa a enfrentar dificuldades com a transição para os filmes com som. A personagem também sofre com seu vício em drogas.

O diretor Damien Chazelle e a própria Margot Robbie afirmaram que a personagem é baseada em várias figuras da vida real, com destaque para a atriz Clara Bow.

Assim como Nellie, Bow teve uma infância difícil – sua mãe tinha esquizofrenia e seu pai era abusivo -, mas conseguiu se tornar uma atriz bem-sucedida. A artista também ficou conhecida por sua personalidade extravagante e ter se tornado uma sex symbol.

Por conta disso, ela teve de conviver com inúmeros rumores e mitos sobre sua vida – principalmente do ponto de vista sexual.

Outras atrizes da época também ajudaram a modelar a personagem, como Joan Crawford, Jeanne Eagels, Mabel Normand, Alma Rubens e Thelma Todd.

Manny Torres

Em “Babilônia”, Manny Torres, papel de Diego Calva, se trata de um imigrante mexicano que consegue, aos poucos, crescer dentro da indústria cinematográfica.

Segundo Damien Chazelle, a principal inspiração para o personagem foi Rene Cardona, um imigrante cubano que também conseguiu crescer aos poucos dentro da indústria cinematográfica e se tornou executivo de estúdios.

Outra figura que contribuiu para a construção do personagem é o ator Ramón Novarro. Também nascido no México, o ator começou a aparecer nos filmes silenciosos a partir de 1917 e logo se transformou em uma das estrelas desta época.

Novarro chegou a ser chamado de sex symbol durante seu auge e é considerado o primeiro ator latino a fazer sucesso em Hollywood. Infelizmente, o artista foi assassinado em sua casa no ano de 1968.

Leia também:  Dave Mustaine diz que nada o faz sentir-se melhor do que thrash metal: “nenhuma bebida ou pessoa”

Elinor St. John

Jean Smart é a responsável por dar vida a Elinor St. John no filme. Esta personagem é uma jornalista que se informa de tudo que acontece nos bastidores de Hollywood e repassa as principais fofocas em sua coluna na revista Photoplay – que realmente existiu durante esta época.

A personagem é claramente uma versão fictícia de Louella Parsons, que foi uma das principais colunistas de fofocas sobre os bastidores de Hollywood durante décadas.

Parsons chegou a ganhar o apelido de “Rainha das fofocas de Hollywood” e sua influência era tão grande no meio que ficou famosa por impulsionar ou acabar com carreiras de diversas pessoas do ramo.

Damien Chazelle garante que outras duas figuras ajudaram a conceber a personagem: a escritora Elinor Glyn e a repórter Adela Rogers St. Johns.

Glyn se tornou famosa por ter ajudado a impulsionar a carreira de diversos artistas, como foi o caso de Clara Bow, e ter escrito várias peças de teatro. Já St. Johns era colega de trabalho de Parsons na revista Photoplay e ganhou fama por coagir diversas estrelas de Hollywood a serem entrevistas por ela – e ainda tentava forçá-las a revelar segredos e fofocas em primeira mão.

Sidney Palmer

Outro personagem de destaque em “Babilônia” é o trompetista Sidney Palmer. Vivido por Jovan Adepo, o personagem é parte de uma banda de jazz e se torna estrela dos primeiros filmes musicais de Hollywood, após ser descoberto por Manny Torres.

Dois músicos desta época foram as principais inspirações para a construção do personagem. O primeiro é Duke Ellington, que tocava em casas noturnas de Hollywood e fez algumas participações esporádicas em filmes.

Já o segundo é Sidney Easton, que, assim como Ellington, tocava em casas noturnas e festas. A partir dos anos 1930, também passou a trabalhar como ator e apareceu em vários filmes ao longo dos anos.

Damien Chazelle afirmou que o lendário Louis Armstrong, uma das figuras mais influentes da história do jazz, também foi uma das inspirações para a criação de Sidney Palmer.

Lady Fay Zhu

Esta personagem, interpretada pela atriz Li Jun Li, se trata de uma cantora de cabaré que também trabalha como escritora daqueles famosos intertítulos dos filmes da era silenciosa.

A principal inspiração para a criação da personagem foi a artista Anna May Wong. Ela é considerada primeira grande estrela hollywoodiana de descendência asiática – e a primeira a ganhar reconhecimento mundial. Ao longo de sua carreira, atuou em filmes silenciosos e com som, além de ter feito trabalhos para TV, teatro e rádio.

Assim como a personagem que se inspirou nela, também houve um momento em que Anna May Wong decidiu ir trabalhar na Europa com o intuito de ter novas e diferentes oportunidades na carreira.

Ruth Adler

Interpretada por Olivia Hamilton, Ruth Adler se trata de uma das pouquíssimas mulheres que trabalhavam nos bastidores de Hollywood nesta época. Ela foi inspirada em uma figura importante e pioneira da indústria cinematográfica.

Estamos falando de Dorothy Arzner. Por muitos anos, ela foi a única diretora de Hollywood e entre 1927 e 1943 – ano em que se aposentou do ramo -, dirigiu 20 filmes diferentes.

Além disso, Dorothy Arzner foi uma das pouquíssimas mulheres que conseguiram ter uma bem-sucedida carreira como diretora até os anos 1970. A cineasta também trabalhou com nomes de destaque do cinema, como Katherine Hepburn, Lucille Ball, Joan Crwaford e a própria Clara Bow, já mencionada algumas vezes.

Damian Chazelle também se inspirou na cineasta Alice Guy-Blaché – a primeira mulher a dirigir um filme na história – e a atriz Lois Weber para criar Ruth Adler.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAs pessoas reais que inspiraram o filme “Babilônia”
Augusto Ikeda
Augusto Ikedahttp://www.igormiranda.com.br
Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no mercado desde 2013 e já realizou trabalhos como assessor de imprensa, redator, repórter web e analista de marketing. É fã de esportes, tecnologia, música e cultura pop, mas sempre aberto a adquirir qualquer tipo de conhecimento.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades