Mott the Hoople poderia ter sido grande como os Rolling Stones, diz Brian May

Guitarrista refletiu sobre legado da banda britânica: “eles não apenas foram uma grande influência, mas também uma espécie de mentores (para o Queen)”

O Mott the Hoople é uma espécie de segredo bem guardado do rock inglês. A banda de Ian Hunter nunca alcançou sucesso estrondoso fora do Reino Unido. Porém, influenciou incontáveis grupos que foram mais longe. Entre eles está o Queen, com quem chegaram até mesmo a excursionar no início da carreira.

Falando ao seu canal no YouTube (com transcrição do Guitar.com), Brian May teceu impressões sobre os antigos colegas e ídolos.

“Eles não apenas foram uma grande influência, mas também uma espécie de mentores. Deveriam ter sido ainda maiores do que foram. Se não tivessem se separado, talvez ficassem do tamanho dos Rolling Stones. A plateia entrava em erupção nos shows.”

Brian May está relançando seu segundo álbum solo, “Another World”. O trabalho de 1998 conta com um cover para “All the Way from Memphis”, do Hoople. A reedição traz um CD bônus com 15 faixas extras em relação ao original.

Sobre Mott the Hoople

Fundado em 1969, o Mott the Hoople existiu até 1980 – mudando o nome para Mott e British Lions em alguns períodos. O grupo foi um dos mais influentes da cena glam britânica. Algumas reuniões esporádicas comemorativas foram realizadas já neste século.

O maior sucesso da banda foi “All the Young Dudes”, composição de David Bowie lançada em 1972. A faixa deu nome ao álbum produzido pelo astro do rock no mesmo ano.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
24
Share