Foto: divulgação

Treta entre Kiss e Aerosmith começou após roadies brigarem com facas

Steven Tyler, o maior propagador das diferenças entre ambas as bandas, foi o responsável por contar história sobre origem da briga

As relações entre as duas principais bandas do hard rock americano da década de 1970 nunca foram exatamente um mar de rosas. De acordo com Steven Tyler, o maior propagador das diferenças entre Aerosmith e Kiss, tudo começou por conta dos roadies.

A declaração foi concedida à rádio WHPT, de Tampa, Estados Unidos. Conforme transcrito pelo Showbiz CheatSheet, ele destacou:

“Lembro que saímos em turnê com o Kiss em 1976 ou algo assim. Um de nossos roadies se meteu em uma briga de faca com os caras que trabalhavam para eles. Passei a odiá-los desde então.”

Com o passar dos anos, o vocalista sempre se referiu ao quarteto comandado por Paul Stanley e Gene Simmons como uma banda de história em quadrinhos, entre outros atributos nada cordiais. Nem mesmo a turnê conjunta de 2003 arrefeceu os ânimos, como Paul relembrou ao Rockline.com.

“A tour era coheadliner, as duas bandas tinham direito a condições iguais. Mas Steven insistia para que o Aerosmith encerrasse todas as noites. Por mim tudo bem, tanto faz. Mas parecia que ele precisava ostentar algum tipo de vantagem. Sendo assim, devo dizer que não me senti mal ao ver parte do público indo embora depois que tocávamos e enquanto eles subiam ao palco.”

Kiss e Aerosmith

Apesar dos pesares, os sentimentos negativos do Aerosmith parecem mais concentrados em Steven Tyler. Os guitarristas da banda elogiaram o Kiss em declarações à biografia oficial “Por Trás da Máscara”.

Joe Perry, que chegou a subir ao palco com o grupo em 2003 usando as botas plataformas de Paul Stanley, declarou:

“Eu me lembro de ouvir o primeiro disco do Kiss antes de eles fazerem a abertura do nosso show (…) Eles se encaixavam no tipo de rock que eu gosto (…) Steven sentia mais a competição. Qualquer pessoa que gostasse mais deles do que de nós ele interpretava como uma ameaça.”

Brad Whitford também relembrou a parceria no início das carreiras dos grupos:

“Fizemos alguns shows juntos e eles me surpreenderam. Tocavam o meu tipo predileto de música, que é o rock pesado de guitarras bem simples. Era uma apresentação realmente vigorosa. Lembro do nosso pessoal e o deles brigando por algumas exigências ridículas que eles teriam feito. Mas tenho certeza que nós também fazíamos.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
61
Share