Foto: Rayon Richards

John Petrucci critica colegas do Dream Theater publicamente por adiamento de turnê

Guitarrista definiu situação como “decisão infeliz” e disse que apenas ele e o baixista John Myung queriam voltar aos palcos

Prestes a lançar “A View from the Top of the World”, o Dream Theater optou por adiar a turnê norte-americana divulgando o disco. O giro, que aconteceria entre outubro e dezembro deste ano, passou para o primeiro semestre de 2022.

Porém, a opção não agradou a todos na banda, como deixou claro o guitarrista John Petrucci em entrevista ao Sonic Perspectives.

“Foi uma decisão infeliz. John Myung (baixista) e eu queríamos fazer os shows, estamos morrendo de vontade de voltar à estrada. Porém, não conseguimos convencer os outros caras de que era seguro. Não houve unanimidade na escolha.”

O músico não fez qualquer questão de esconder a frustração, usando até mesmo exemplos de outros artistas que estão excursionando neste período.

“É decepcionante para mim. Tudo está aberto, clubes, teatros e arenas. Os concertos estão acontecendo, as bandas estão viajando, nossos amigos estão conseguindo fazer tudo com sucesso. Há maneiras de realizar os eventos sem correr maiores riscos e já tínhamos tudo bem preparado, mas os outros membros do grupo não se sentiram confortáveis com a ideia. Odeio desapontar as pessoas. Como disse, foi uma decisão infeliz.”

Em nota oficial divulgada no dia 27 de setembro, o Dream Theater se desculpou com os fãs, admitindo não ter sido uma decisão fácil. A banda ainda não divulgou as novas datas das apresentações.

Sobre o novo álbum

Décimo-quinto da discografia do Dream Theater, “A View from the Top of the World” apresenta sete faixas distribuídas em 70 minutos de duração. Enquanto o álbum anterior, “Distance Over Time” (2019), apostou em músicas de duração mais enxuta, esse novo trabalho parece despertar ainda mais a veia progressiva da banda: a abertura “The Alien” tem 9 minutos e meio, enquanto “Sleeping Giant” ultrapassa os 10 minutos e a faixa-título chega a quase 20 minutos e meio.

As restrições causadas pela pandemia afetaram bastante a agenda do grupo em 2020, já que a banda estava no meio da turnê de “Distance Over Time”. Com a pausa, eles puderam focar na criação do que chamam de DTHQ (Dream Theater Headquarters), um local que serve como estúdio, sala de ensaios, armazém de equipamentos e espaço criativo – tudo ao mesmo tempo.

O novo álbum é o primeiro da banda a ser feito, ainda que parcialmente, no DTHQ. O trabalho de composição aconteceu com os instrumentistas nos Estados Unidos e o vocalista James LaBrie no Canadá. Já as gravações foram todas conduzidas no espaço da banda, incluindo os vocais de LaBrie, com produção de John Petrucci.

Em nota, o guitarrista e produtor declarou:

“Amamos tocar nossos instrumentos. Isso nunca vai acabar. Eu amo ser criativo, compor e exercitar essa parte da minha mente. Fomos capazes de fazer isso por um longo tempo e não damos nada como garantido. Sempre que nos reunimos, sabemos que não podemos desapontar a nós mesmos e aos nossos fãs, então tentamos fazer ainda mais difícil.”

A capa foi criada por Hugh Syme, conhecido pelos trabalhos com o Rush, além de Iron Maiden e outras bandas. A engenharia de som é assinada por James “Jimmy T” Meslin, enquanto a mixagem e a masterização ficaram a cargo de Andy Sneap.

Dream Theater – “A View from the Top of the World”

  1. The Alien (9:32)
  2. Answering The Call (7:35)
  3. Invisible Monster (6:31)
  4. Sleeping Giant (10:05)
  5. Transcending Time (6:25)
  6. Awaken The Master (9:47)
  7. A View From The Top Of The World (20:24)
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
1
Share