Como Bryan Adams acabou sendo um dos compositores de “War Machine”, do Kiss

Bryan Adams ainda não era famoso quando topou trabalhar com o Kiss em 1982. Junto de seu parceiro de composição Jim Vallance e do vocalista e baixista da banda, Gene Simmons, ele co-escreveu as músicas “War Machine” e “Rock and Roll Hell”.

Bryan Adams ainda não era exatamente famoso quando topou trabalhar com o Kiss em 1982. Junto de seu parceiro de composição Jim Vallance e do vocalista e baixista da banda, Gene Simmons, ele co-escreveu as músicas “War Machine” e “Rock and Roll Hell”, presentes no álbum “Creatures of the Night”.

Em recente entrevista ao jornalista Eddie Trunk, transcrita pelo Ultimate Classic Rock, o cantor canadense, que se consagrou no pop e no soft rock naquele período, relembrou de quando compôs as duas canções para o Kiss. O artista também destacou que fica feliz com o fato de “War Machine” seguir sendo tocada pela banda nos shows.

Inicialmente, ele falou sobre a criação de “War Machine”:

“O Kiss me chamou até Los Angeles para que eu me encontrasse com eles e talvez os ajudasse com algumas músicas. Fui a Los Angeles. Gene tinha um riff de guitarra, mas não tinha uma música. Achei que era um riff bem legal. Não concluí a ideia quando estive em Los Angeles, então, levei a Vancouver. Mostrei a Jim Vallance e trouxemos ‘War Machine’.”

Ao descobrir que “War Machine” ainda é tocada nos shows, Adams comentou:

“Bom, eu nunca os vi ao vivo, então, fico feliz em saber que a música tenha funcionado tão bem. Quis que essa música fosse empolgante com base no conteúdo da letra.”

“Rock and Roll Hell”, por sua vez, já havia sido lançada pelo Bachman-Turner Overdrive em 1979, no álbum “Rock n’ Roll Nights”. Bryan Adams, então, sugeriu a canção a Gene Simmons, que gostou e fez uma adaptação da faixa – para o canadense, definitivamente, a versão do Kiss é melhor que a anterior.

Bryan Adams, Kiss e Eric Carr

O envolvimento de Bryan Adams com o Kiss não parou por aí. O então baterista da banda, Eric Carr, colaborou com o cantor na autoria da música “Don’t Leave Me Lonely”, presente em “Cuts Like a Knife” (1983), primeiro álbum dele a fazer sucesso fora do Canadá.

“Eric trouxe uma ideia para mim. Acho que era uma ideia com bateria e guitarra, ou talvez tinha algo de bateria, e eu transformei em uma música, dando o crédito a ele. Eu refiz a música com Jim, novamente, e com Eric. A ideia era que a canção fosse gravada pelo Kiss, mas acho que eles não quiseram, então, eu gravei.”

https://www.youtube.com/watch?v=D_sSO9BEQLI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
0
Share