Resenhas

Wolftooth entrega heavy/doom interessante e competente em primeiro álbum



Resenha: Wolftooth – “Wolftooth” (2018)

A mescla de heavy metal tradicional com elementos do doom metal soa interessante no álbum de estreia do Wolftooth. A banda formada em Richmond, Indiana, por Chris Sullivan (vocal e guitarra), Jeff Cole (guitarra), Terry McDaniel (baixo) e Johnny Harrod (bateria), teve o seu primeiro disco lançado em 2018 de forma independente, chegando ao Brasil em CD, no ano seguinte, pela Hellion Records.

Embora seja o trabalho de estreia do Wolftooth, dá para notar que os músicos não são novatos – eles estão na faixa dos 40 anos e alguns deles estão na cena há mais de 25. Não há dúvidas de que a experiência conferiu maturidade ao material apresentado.

O grande destaque das 9 faixas é o peso de seu instrumental. Guitarras, baixo e bateria soam densos e com timbragem mais orientadas ao grave. Ainda falta um pouco de dinâmica nas linhas vocais de Chris Sullivan, que também ficou um pouco apagado na mixagem, mas já é de se louvar que ele não tenha recorrido a vocais guturais, buscando linhas melódicas do início ao fim.

A influência de Black Sabbath soa pulsante e os próprios músicos reconhecem. “É difícil compor música assim e não dizer que o Sabbath é uma grande influência, mas, ao mesmo tempo, não tentamos emular ninguém”, afirmou Sullivan, em entrevista à ‘Metal Hammer’.

– Lançamentos: os álbuns de rock e metal de 2020

Ainda assim, outros elementos entram em jogo. ‘Blackbirds Call’ soa mais “purista” em termos de heavy metal, enquanto ‘Sword of My Father’ e ‘Frost Lord’ são quase hard rock. Parte das últimas faixas, chegando à casa dos 6 minutos de duração cada, adota veia mais experimental e busca outras referências.

No geral, o trabalho de estreia do Wolftooth é uma grata surpresa para quem busca som pesado à moda antiga. Mostra que não é preciso recorrer a afinações supergraves, vocais guturais e batidas surreais em prol de uma pegada forte.

Chris Sullivan (vocal e guitarra)
Jeff Cole (guitarra)
Terry McDaniel (baixo)
Johnny Harrod (bateria)

1. Blackbirds Call
2. Aegaeon
3. Sword of My Father
4. White Mountain
5. Frost Lord
6. The Huntress
7. Season of the Witch
8. Forged in Fire
9. Withered Trees (bônus da versão física)


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *