Curiosidades

Max Cavalera revela o disco pelo qual ele gostaria de ser lembrado



Certamente, Max Cavalera fez muitos álbuns importantes em sua trajetória – seja com o Sepultura, Soulfly ou Cavalera Conspiracy. No entanto, qual o disco pelo qual ele gostaria de ser lembrado daqui 100 anos?

Em entrevista à Guitar World, Max respondeu a essa pergunta. E, diferente do que muitos podem pensar, a escolha não é um álbum do Sepultura, mas, sim, do Soulfly.

“Acho que o primeiro disco do Soulfly (autointitulado, de 1998) é um dos trabalhos mais fortes que já fiz. Foi, definitivamente, o dico mais difícil de gravar. Havia muita pressão e raiva rolando na época”, afirmou.

– ‘Quem acompanha, sabe que nossas letras vão mais pra esquerda’, diz Iggor Cavalera

Segundo Max, o debut do Soulfly foi “como uma sessão de terapia em muitas formas”. “É por isso que acho que é um álbum tão verdadeiro. Ele se sustenta. Para mim, é o álbum que fiz que ainda está muito próximo do meu coração”, disse.

O álbum de estreia do Soulfly foi, também, a primeira gravação de Max Cavalera desde a sua conturbada saída do Sepultura, em 1996. O trabalho conta com participações de nomes como Chino Moreno (Deftones), Dino Cazares e Burton C. Bell (Fear Factory), Fred Durst e DJ Lethal (Limp Bizkit) e Benji Webbe (Skindred), entre outros. Foi certificado disco de ouro nos Estados Unidos pelas mais de 500 mil cópias vendidas.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *