Notícias

Membros do Linkin Park podem fazer músicas juntos novamente, diz Phoenix



O baixista Dave “Phoenix” Farrell falou, em entrevista à rádio SiriusXM transcrita pelo Blabbermouth, sobre a possível continuidade do Linkin Park após o suicídio do vocalista Chester Bennington. Phoenix destacou que os membros da banda podem voltar a fazer música juntos, embora não tenha falado sobre seguir as atividades do grupo sem o cantor.

“A forma mais fácil de responder é dizer que não sei. Posso explicar: nós cinco ainda adoraríamos a chance de sair por aí. Nós saímos às vezes. Acho que faremos músicas juntos novamente. Todos queremos. Todos gostamos de estar juntos, mas temos um processo enorme para descobrir o que queremos fazer e como será. Não tenho um cronograma para isso”, afirmou.

O músico destacou, ainda, que os integrantes remanescentes do Linkin Park têm recebido muito apoio dos fãs da banda. “As redes sociais podem ser um ambiente negativo, mas tem sido 99,9% positivo pelo que vejo de nossos fãs, que estão dizendo: ‘estamos aqui, queremos saber o que vocês estão fazendo, queremos estar envolvidos, mas entendemos – queremos que vocês estejam saudáveis, felizes e façam o que for melhor para vocês’. Nós recebemos essa mensagem e é muito especial. Não poderia agradecer o bastante”, disse.

Em declarações anteriores, o vocalista e multi-instrumentista Mike Shinoda tem dito que pode fazer shows com o Linkin Park caso seja a vontade dos demais colegas. “Só estou dando um passo por vez e mantendo minha mente aberta às possibilidades – seja fazendo coisas sob meu nome, trabalhando com outros artistas, produzindo faixas para alguém, ou se os caras estiverem em um ponto onde queiram fazer shows com o Linkin Park. Tenho certeza de que qualquer uma dessas situações são possibilidades e estou aberto para o que quer que aconteça”, afirmou, em entrevista ao podcast United Rock Nations.

Em text para a Vulture, Shinoda disse que o futuro do Linkin Park está indefinido. “Não sei dizer o que vai acontecer com a banda. Realmente, não há nenhuma resposta, e é engraçado, porque se eu disser alguma coisa sobre o futuro da banda, isso se torna manchete, o que é estúpido, porque a resposta é que não há resposta. Fãs querem saber qual será o futuro: acreditem em mim, eu quero saber qual é a resposta. Mas não há apenas uma. O que sei é que, no futuro imediato, essa coisa que estou fazendo não poderia ser mais importante para mim pessoalmente”, pontuou.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *