Notícias

Talento é “superestimado” e trabalho é “subestimado”, diz Kiko Loureiro



O guitarrista Kiko Loureiro (Megadeth, Angra) falou, em entrevista ao G1, sobre a sua relação com a música e com o treino. Um dos grandes virtuosos do metal no Brasil, Loureiro disse que o talento é “superestimado”, enquanto que o trabalho duro é “subestimado” por quem deseja trabalhar na área.

“Esse negócio de talento é superestimado. E o trabalho duro é subestimado. Você tem que estudar certinho todo dia. Você vai viver aquilo porque é o que mais gosta. O tempo inteiro você vai estar com a cabeça na música. Ter o talento é a cereja do bolo. Na verdade, é você ter o talento de sentar na cadeira e ficar ali treinando”, afirmou.

Questionado se não achou que tivesse um talento especial, Kiko Loureiro disse que não. “Tinha outros amigos que tocavam muito também. Tocavam bem, e eu ouvia os caras tocando e pensava: ‘vou tocar mais’. O talento é mais essa força de achar que consegue melhorar se treinar. E saber quais são as técnicas para treinar direito, para utilizar no tempo certo e atingir o resultado”, disse.

O músico afirmou que, desde sempre, teve disciplina com relação à forma de treinar a guitarra. “Eu era mais organizado nessa questão do que a maioria dos caras perto de mim. Montava minha própria disciplina de estudo. Meus pais eram disciplinados em termos de horário. Percebi que no colégio, você já sabia as aulas que ia ter na semana. Então comecei a dividir meu treino. Chegava da aula e dividia meus dias com os assuntos de música que tinham que ser feitos. Assim conseguia estudar mais as coisas. Senti uma melhora e fui aprimorando”, disse.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *