Promotor de turnê se manifesta após Gestos Grosseiros acusá-lo de roubo

Alessio Medici apresentou suas argumentações após o cancelamento da participação da banda em turnê europeia

Alessio Medici, produtor da Etrurian Legion, foi às redes sociais responder às acusações da banda brasileira Gestos Grosseiros. O grupo o acusou de ter levado pertences e dinheiro, além de destruído instrumentos após o primeiro show da turnê europeia da qual participavam.

O trio havia começado o itinerário pela Polônia e ainda tinha shows marcados na República Tcheca, Eslovênia, Itália, Sérvia, Bulgária, Romênia e Eslováquia. Os suecos do Condemned AD também estavam escalados para a excursão e seguem se apresentando sozinhos.

- Advertisement -

Medici disse, em postagem no Facebook:

“Declaração oficial:

Após 3 dias do Evento que me forçou a expulsar a Gestos Grosseiros da turnê europeia e após as difamações contra mim por como decidi agir neste caso e as ameaças recebidas do Brasil dos habituais Heróis da Internet, digo simplesmente que este foi o mínimo reservado às bandas que não respeitam meu trabalho e criam o caos onde estamos trabalhando há muitos anos.

Minha casa, minhas regras. A banda não pagou o trabalho conforme combinado. Há um ano, na época da assinatura, atrasou 2 meses, quebrou o acordo com o risco de cancelar tudo (20 shows no calendário). Eles não adiantaram nenhum euro e nunca devolveram o dinheiro.

Nós o fizemos, adiantamos nosso dinheiro para salvar a turnê em respeito à banda que excursiona com eles e porque eu entendo o problema de todos, vocês estão atrasados, eu espero e ajudo vocês.

Quando eles chegaram na Polônia não tinham dinheiro. Eu sabia disso. Esperei que pegassem seus equipamentos, era minha garantia de pagamento e respeito da equipe, da banda que excursiona com eles, dos locais, do técnico de som, dos promotores. Pague-me o serviço e você sairá em turnê.

Eles realmente não se importaram, bêbados pra caramba e agindo como idiotas totais na primeira noite. De jeito nenhum, eu tenho dignidade e tenho um limite, mas mesmo assim dei a eles outra chance quando peguei seus equipamentos, disse a eles para pagar o serviço para continuar a turnê.

‘Não temos dinheiro’, eles disseram. Eu destruí tudo depois que eles difamaram meu nome, me chamando de ladrão. Agora a rede social está contra mim. Eu não me importo.

Este era o mínimo reservado para quem não paga e quem não respeita os acordos. Se agirem assim no Brasil, eles estão mortos. Espero que sirva de lição para as próximas bandas que tentarem me f*der.

Vocês querem ser metal, mas são covardes e manipuladores totais da opinião das pessoas. Anexo a prova de que eles estão mentindo. Se precisarem de mais, meus queridos ratos da internet, ficarei feliz em dar mais.

Cordiali Vaffanculo
Alessio Medici
Etrurian Legion”

A versão da banda

Anteriormente, o Gestos Grosseiros fez uma publicação no Facebook, onde dizia:

“Fomos roubados após o 1° show na Europa. O motorista da van, Alessio Medici, dono da Etrurian Legion, fugiu nos deixando no hotel, levando todo equipamento, merch e dinheiro que estava nas malas. Hoje ficamos sabendo que os instrumentos foram quebrados e jogados no lixo. Em breve, nota oficial. PS: fotos retiradas do perfil do meliante.”

Leia também:  Pitty adia mais um show, em Goiânia, por recomendações médicas

Em uma postagem individual, o guitarrista Kleber Hora ofereceu um relato mais detalhado, argumentando:

“Antes de viajar para Europa, tínhamos um combinado com a Agência sobre os meios de pagamentos do serviço que iria ser prestado já definidos assim que começamos os shows. Depois que fizemos o primeiro show na Polônia, na cidade de Gdansk, o responsável pela agência veio nos dizer que teríamos que pagar todo valor que faltava para continuarmos a tour na Europa e assim quebrando o que tínhamos negociado com ele.

Tentamos negociar pagando pelo menos 30% do valor do débito no ato e o restante iríamos pagando durante os shows com os cachês e venda de merchandising da banda, e nada do responsável aceitar a nossa proposta.

Na manhã seguinte do dia 4 de julho, o responsável da Agência dormiu no hostel e no mesmo quarto que nós, saiu sem fazer nenhum barulho e largando a banda no hostel e seguiu viagem para Varsóvia com a banda sueca que está na tour junto. Nisso ele acabou levando todos os Instrumentos da banda, merchandising, itens pessoais dos integrantes. Mandamos mensagens para ele, e ele disse que não ira buscar a gente e nem devolver nossas coisas se não fazermos o pagamento total o que não temos condição e o que não foi o acordo.

Pegamos o ônibus até Varsóvia onde foi show do dia 4, fomos até o local, encontramos pessoalmente o responsável da agência e questionamos nossas coisas. Ele manteve firme o que disse para nós ‘SE NÃO PAGAR NÃO TEM TOUR E NEM SUAS COISAS’, sendo que nossas coisas nem estavam mais dentro da Van porque ele abriu só para fazer pirraça, nos xingar e zombar de nós.

A AGÊNCIA NOS ABANDONOU FALTANDANDO 15 SHOWS E SÓ FIZEMOS UM. ETRURIAN LEGION PROMOTION a AGÊNCIA responsável pelo por tudo que fizeram com banda.

‘E aí vocês acham que fomos SABOTADOS E ROUBADOS?’

Estamos resolvendo o lance de reagendar nosso voo de volta para o Brasil em breve, pois existem taxas e é um processo delicado de se resolver.

Da minha parte agora eu só quero ir embora o quanto antes para o Brasil e ficar perto da minha família dos meus bichos e das pessoas que eu gosto de verdade.”

Sobre o Gestos Grosseiros

O Gestos Grosseiros foi fundado em 1998, na cidade de Guarulhos, em São Paulo. Atualmente o grupo divulga seu quarto álbum de estúdio, “Blasphemous Words”, lançado ano passado.

A formação atual conta com o baterista, vocalista e membro fundador Andy Souza, além do guitarrista Kleber Hora e o baixista Ronald Amadeu.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasPromotor de turnê se manifesta após Gestos Grosseiros acusá-lo de roubo
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades