Os melhores álbuns dos Rolling Stones segundo Keith Richards

Com 24 álbuns de estúdio e mais de 200 milhões de cópias vendidas, banda possui vários pontos altos em sua trajetória

Considerando “Blue & Lonesome” (2016), composto apenas por regravações, os Rolling Stones possuem 24 álbuns de estúdio em sua discografia – considerando aqui a britânica, já que eles são ingleses, embora nos Estados Unidos os lançamentos dos primeiros anos tenham ocorrido em formatos diferenciados, tal qual foi com os Beatles e outros parceiros de geração.

Desse montante, calcula-se que a banda tenha vendido em torno de 200 milhões de cópias em todo o planeta. Entre altos e baixos, conseguiu manter um desempenho satisfatório nas paradas, flertando com diferentes referências e se modernizando sem descaracterizar o som.

- Advertisement -

Em entrevista de 2020 à GQ, resgatada pelo Rock and Roll Garage, Keith Richards escolheu seus favoritos. O guitarrista começou pelas escolhas óbvias.

“Sempre difícil escolher. Eu iria a qualquer lugar entre ‘Beggars Banquet’, ‘Sticky Fingers’, ‘Let It Bleed’ e ‘Exile on Main St.’”

A seguir, sobrou espaço para menções “fora da curva”.

“Também cito ‘Bridges to Babylon’, que considero muito subestimado. Estávamos acertando nossas diferenças. Foi fácil, porque trabalhamos em casa. Não estávamos exilados. Mas, na verdade, odeio escolher coisas favoritas. Todos eles têm algo que é especial para mim. Sinceramente, adoro todos, alguns um pouco mais que outros. Acho que ‘Steel Wheels’ foi muito bom e ‘Voodoo Lounge’ também.”

E se for só um campeão?

Porém, se for para selecionar apenas um, Keith não foge da raia e vai naquele que também é o campeão de muitos fãs.

Leia também:  Gene Simmons fará 1º show pós-Kiss antes mesmo do Summer Breeze

“Se tiver que reduzir a um, tem que ser ‘Exile on Main St.’”

Lançado em 12 de maio de 1972, “Exile on Main St.” foi o décimo trabalho de inéditas da discografia britânica, além de o primeiro duplo em toda a carreira dos Rolling Stones. As gravações se iniciaram em Londres no ano de 1969, paralelas às do disco anterior, “Sticky Fingers”. Foram finalizadas em 1971, em Villefranche-sur-Mer, França.

A sonoridade trazia o grupo imerso em suas influências americanas, mesclando o rock and roll e o blues ao country e o gospel. Várias composições surgiram de jams em estúdio. Além das faixas próprias, contava com versões para “Shake Your Hips”, de Slim Harpo e “Stop Breaking Down”, de Robert Johnson.

Leia também:  A música com acordes de violão e guitarra mais pesquisados, segundo estudo

Chegou ao número 1 em diversas paradas, arrematando discos de platina nos Estados Unidos e Inglaterra. Teve mais de 8 milhões de cópias comercializadas apenas em sua versão original.

Rolling Stones e “Hackney Diamonds”

Lançado em outubro do ano passado, “Hackney Diamonds” é o álbum mais recente dos Stones. Chegou ao topo de 20 paradas internacionais, incluindo Reino Unido (onde já faturou disco de ouro), Alemanha, França e Argentina. Ainda foi Top 10 em outras 9, com destaque para o 2º lugar nos Estados Unidos.

A turnê de divulgação está agendada para iniciar em abril pelos Estados Unidos. Embora ainda não tenha sido anunciado, o Brasil está nas especulações para receber a banda ainda em 2024.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesOs melhores álbuns dos Rolling Stones segundo Keith Richards
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades