Quando o Stone Temple Pilots fez show maquiado como Kiss em manifesto contra gravadora

Ação foi um protesto após o grupo ter sua participação no álbum tributo “Kiss My Ass” vetada pela Atlantic Records

Em 1993, o Stone Temple Pilots colhia os frutos do sucesso do seu álbum de estreia, “Core”, lançado no ano anterior. O trabalho chegou ao 3º lugar na Billboard 200, principal parada dos Estados Unidos. Com o tempo, ultrapassou a marca de 8 milhões de cópias vendidas, sendo até hoje o disco mais bem-sucedido da carreira do grupo.

A ascensão meteórica chamou a atenção de Gene Simmons, que estava angariando artistas para um álbum em tributo ao Kiss. Porém, a Atlantic Records, gravadora dos então novatos, não aceitou cedê-los à rival Mercury Records – absorvida pelo Universal Music Group em 1998.

- Advertisement -

A atitude enfureceu os músicos, que resolveram externar o descontentamento. Com isso, os shows da banda em Nova York, no Roseland Ballroom, dias 3 e 4 de agosto de 1993 foram usados para um protesto. Na segunda noite, o STP subiu ao palco maquiado como os membros originais do Kiss.

O vocalista Scott Weiland incorporou o Starchild (Paul Stanley); com o guitarrista Dean DeLeo assumindo a persona do Spaceman (Ace Frehley); o baixista Robert DeLeo se tornando o Demon (Gene Simmons); e o baterista Eric Kretz pintado o rosto como o Catman (Peter Criss).

Leia também:  Rock in Rio paga o dobro de cachê de outros festivais, diz curador do Lolla

De acordo com os músicos, recordando o momento anos mais tarde, o próprio Ace Frehley ajudou a manter os desenhos o mais fiel possíveis aos originais.

Apesar da homenagem visual, nenhuma música do Kiss foi executada pelo quarteto. 10 das 12 faixas do seu debut foram tocadas – apenas a vinheta “Wet My Bed” e a curta instrumental “No Memory” ficaram de fora do repertório.

Eis o setlist de ambas as noites, que também contaram com shows do The Flaming Lips e Butthole Surfers na excursão denominada “Bar-B-Q Mitzvah Tour”:

  1. Plush
  2. Sex Type Thing
  3. Wicked Garden
  4. Sin
  5. Dead & Bloated
  6. Crackerman
  7. Where the River Goes
  8. Creep
  9. Naked Sunday
  10. Piece of Pie

Vídeos da segunda apresentação podem ser conferidos abaixo.

Sobre “Kiss My Ass: Classic Kiss Regrooved”

“Kiss My Ass: Classic Kiss Regrooved” saiu em 21 de junho de 1994. O álbum chegou ao 19º lugar na Billboard 200, arrematando disco de ouro nos Estados Unidos. O tracklist contou com as seguintes faixas e artistas:

  1. Deuce (Lenny Kravitz feat. Stevie Wonder)
  2. Hard Luck Woman (Garth Brooks)
  3. She (Anthrax)
  4. Christine Sixteen (Gin Blossoms)
  5. Rock and Roll All Nite (Toad the Wet Sprocket)
  6. Calling Dr. Love (Shandi’s Addiction)
  7. Goin’ Blind (Dinosaur Jr.)
  8. Strutter (Extreme)
  9. Plaster Caster (The Lemonheads)
  10. Detroit Rock City (The Mighty Might Bosstones)
  11. Black Diamond (Yoshiki)
Leia também:  Filho de Steve Lukather fez teste para o Guns N’ Roses aos 18 anos

Edições especiais ainda saíram com uma versão em alemão de “Unholy”, feita pela banda Die Ärzte.

O Kiss realizou uma turnê promovendo o tributo. Ela trouxe a banda ao Brasil pela segunda vez em sua história, como atração principal da primeira edição nacional do Monsters of Rock. Slayer, Black Sabbath, Suicidal Tendencies, Raimundos, Angra, Viper e Dr. Sin completaram o lineup que se apresentou dia 27 de agosto de 1994 no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

O show foi incluído quase na íntegra no terceiro volume da série retrospectiva em vídeo “Kissology”, disponibilizado em 2007. A compilação cobria o período entre 1992 e 2000 na história da banda.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesQuando o Stone Temple Pilots fez show maquiado como Kiss em manifesto...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades