Eddie Van Halen em 2019

Top Gun, Bryan Adams e turnê: os projetos de Eddie Van Halen antes de morrer

Avanço do câncer que tirou sua vida em outubro de 2020 não impediu que músico planejasse seu futuro artístico

Falecido em 5 de outubro de 2020, aos 65 anos, Eddie Van Halen não deixou de exercitar sua mente criativa até o final. O ex-jornalista musical Blair R. Fischer resolveu abrir um arquivo de mensagens de 5 anos em artigo escrito para a Rolling Stone. Nele estão conversas íntimas com o guitarrista do Van Halen, onde o músico se expõe de maneiras jamais feita em entrevistas – por motivos óbvios.

Nos bate-papos, o lendário guitarrista expõe suas mágoas e rancor contra os dois principais vocalistas de sua banda. Critica David Lee Roth por ser uma pessoa difícil de lidar e Sammy Hagar por, em sua visão, ter usado a banda para autopromoção. Ao mesmo tempo, elogia o filho Wolfgang, dizendo não saber como faria caso precisasse voltar a tocar com Michael Anthony, baixista da formação clássica.

Mesmo quando recebe o diagnóstico de câncer pulmonar, Eddie não deixa de ter esperança e fazer planos. Revela que o compositor Hans Zimmer o convidou para fazer a música tema de “Top Gun: Maverick”, assim como Keanu Reeves o queria na trilha de um filme da saga “John Wick”. Bryan Adams, seu amigo, também estaria interessado em uma colaboração.

“No dia 22 de setembro de 2019, Eddie me diz que não se considerava no fim, mas em um recomeço. Eram tempos empolgantes.”

Em outro momento, a turnê com os dois desafetos é colocada em pauta, como Wolfgang também havia revelado após a morte do pai.

“Ele disse que poderia rolar antes que, em suas palavras, ‘os dois malucos enlouquecessem e botassem tudo a perder. Wolf abre, Roth e Hagar se revezam e damos um jeito de encaixar Mike. Só acho que Al (Alex, irmão e baterista) não vai gostar da ideia, mas já vi coisas mais estranhas acontecendo’.”

A última comunicação entre os dois ocorreu no dia 11 de agosto de 2020. Menos de dois meses mais tarde, Eddie já não estaria mais nesse plano. Lembra Blair:

“Era o início da tarde de um dia de outono excepcionalmente quente e ensolarado. Estava olhando da janela do meu escritório. O trabalho melhorando, mas nem perto do que era e também não estou nem perto de onde estava. A pandemia afetando a mente. Estou navegando pelo Facebook e vejo um post que é vago, mas parece indicar algo sobre Eddie Van Halen. O mais rápido que posso vou ao TMZ.

A manchete me atinge como um trem de carga: ‘Eddie Van Halen morto aos 65 anos de câncer’. Não consigo nem ler além dessas oito palavras. Fecho a porta do meu escritório, desabo no sofá que só os cachorros usam, enterro as mãos no rosto e choro. Perdi meu herói de infância e uma alma gentil que passei a chamar de amigo.”

Mais planos de turnê

Curiosamente, em dezembro de 2018 – antes de Eddie Van Halen cogitar uma turnê com os dois principais vocalistas da banda -, David Lee Roth revelou a possibilidade de uma turnê reunindo os membros originais (considerando que o baixista Mike Stone foi substituído por Michael Anthony antes de qualquer gravação). De acordo com o cantor, bandas como Foo Fighters, Metallica e Guns N’ Roses também participariam.

“Eddie logo acabou com as especulações, ao menos de minha parte. Mandou mensagem dizendo: ‘Já falei a Roth que nada vai acontecer até que eu esteja suficientemente saudável para fazer um show. Não é coisa para agora’.”

Fato é que a excursão não aconteceu pelos motivos óbvios. E o Van Halen nunca mais voltou aos palcos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
5
Share