Foto: Logan Weaver / Unsplash.com

Spotify divulga o guia Loud and Clear, que esclarece seu sistema de pagamentos a artistas

O Spotify, criticado por artistas pelo baixo repasse feito pelos streamings, revelou um pouco de seu funcionamento no site Loud and Clear. A página busca esclarecer como flui o dinheiro da plataforma, inclusive para pequenos artistas.

Não é de hoje que o Spotify é criticado por artistas pelo baixo repasse feito pelos streamings em sua plataforma. Artistas de pequeno, médio e até grande porte relatam receber “migalhas” do aplicativo, que lucra bilhões todos os anos com a criação desses músicos.

Nos últimos dias, rolaram até mesmo protestos em todo o mundo, incluindo no Brasil, envolvendo músicos que buscam pagamentos mais justos por parte do Spotify. As manifestações foram organizadas pela Union of Musicians and Allied Workers (UMAW) e seus participantes mostraram sua indignação pelo valor de US$ 0,0038 pago por stream.

Diante disso, o Spotify resolveu se abrir um pouco em relação a como essa divisão de lucros é feita através do site Loud and Clear. A página promete ser uma espécie de “guia”, que explica um pouco sobre os números do streaming para quem estiver interessado em fazer os cálculos sobre quem ganha quanto.

Spotify e Loud and Clear: alguns números

De acordo com as informações presentes no Loud and Clear, o Spotify pagou, apenas em 2020, cerca de US$ 2,3 bilhões (cerca de R$ 127 bilhões na cotação atual e em transação direita) em direitos autorais . O crescimento da plataforma é notável, visto que, em 2017, esse valor ficou em US$ 3,3 bilhões (R$ 18 bilhões).

A página afirma que não paga o mesmo valor por stream a todos os artistas – cada um recebe de acordo com uma série de fatores. Além disso, é dito que os artistas não são remunerados diretamente. O dinheiro é repassado à entidade que detém os direitos sobre aquela música (geralmente a gravadora), que, aí sim, determina como será feita a distribuição da renda.

Outros dados interessantes, relativos apenas ao ano de 2020, apontam que:

  • Mais de 207 mil músicas bateram a marca de 1 milhão de streams;
  • Mais de 184 mil artistas ganharam mais de US$ 1 mil com direitos autorais de suas músicas ao longo do ano (três anos antes, foram 89,7 mil artistas);
  • Ao todo, 870 artistas ganharam mais de US$ 1 milhão (três anos antes, foram 450 artistas).

Alguns vídeos também foram disponibilizados para explicar como funciona a distribuição dos direitos autorais pelo Spotify. Um deles, que tem legendas em inglês (ativadas direto no YouTube), mostra, com detalhes, como flui a grana da plataforma de streaming.

Críticas ao streaming

Muitos artistas já se manifestaram contra a forma com que o Spotify distribui os royalties resultantes dos streamings na plataforma. O guitarrista Jimmy Page (Led Zeppelin) chegou a escrever uma carta para a empresa, no fim de 2020, onde pede pagamentos mais justos.

Outros nomes críticos ao sistema atual de remuneração incluem Nile Rodgers (Chic) e Scott Ian (Anthrax). O assunto foi tema de um debate ocorrido no Reino Unido em 2020, ocasião da carta de Page. Leia um trecho:

“Quanto mais cedo as empresas de streaming puderem fazer pagamentos justos a todos os músicos cuja música é tocada ou visualizada na internet, e pagar royalties justos àqueles que nos dão grande prazer daqueles que estão as explorando, melhor.”

1 comentário
  1. lixo que está destruindo a musica como estado de arte, faz a musica ficar biodegradável, como bem definiu igor cavalera, criando uma geração de pseudo ouvintes sem qualquer compromisso e amor a arte musical, refletindo a debilidade mental e aculturamento de uma geração de semi retardados que tudo fazem de forma superficial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
0
Share