Notícias

Jon diz que Bon Jovi só depende dele e das músicas, não de Sambora



O vocalista Jon Bon Jovi refletiu sobre a carreira de sua banda, o Bon Jovi, em entrevista à Pollstar. Durante o bate-papo, o músico destacou o principal motivo pelo qual o grupo conseguiu resistir à saída do guitarrista Richie Sambora, um dos principais compositores do projeto, em 2013.

Jon foi direto ao declarar que o Bon Jovi funciona de uma forma diferente se comparado a outros grupos de rock. “Esta não é uma banda que depende de um guitarrista, como o Van Halen, o U2 ou algo assim. É sobre as músicas e sobre mim”, afirmou.

Apesar disso, o cantor disse que gostaria de ter o guitarrista na formação – ele foi substituído por Phil X. “Nós entendemos. Também queria que ele estivesse aqui, pois formávamos uma dupla formidável. Nossas vozes eram a mágica e ele era um cara legal e tudo o mais, porém, as escolhas dele o levaram a se desviar”, comentou.

– De família a vocais: Richie Sambora lista motivos para ter deixado o Bon Jovi

Sucesso

Ainda durante o bate-papo, Jon Bon Jovi abordou o atual momento da banda, que teve sua primeira turnê, promovendo o álbum “This House Is Not For Sale”, realizada pela megaempresa Live Nation. Além disso, o cantor gerenciava parte dos negócios, mas, agora, trouxe a Full Stop Management e o empresário Irving Azoff para colaborar.

“Ter Irving Azoff como meu empresário tem sido uma das grandes bênçãos da minha carreira. Saber que ele está cuidando de todos os seus artistas o tempo todo, sabendo que ele está pessoalmente gerenciando a minha vida, é uma grande bênção”, afirmou Jon.

– Richie Sambora queria que o Bon Jovi fosse ‘mais banda’ e ‘menos’ Jon

O conhecimento do vocalista a respeito dos negócios na indústria musical o define, praticamente, como um “CEO” da banda. Ele foi pontual ao destacar, também, que o grupo está “tão grande ou até maior do que nunca, se os números forem considerados”.

“Você percebe que os fãs estão voltando e confiam na mudança na formação e de direcionamento musical, pois não estou tentando fazer outra ‘You Give Love a Bad Name’. Acho que isso se refere ao meu trabalho como líder e compositor principal: o público confia em mim. E isso é algo difícil, porque o Bon Jovi é algo com o qual eles cresceram. Eles podem até confiar em mim, mas se não valer o tempo e a grana investidos, eles vão seguir em frente e manter as lembranças”, disse Jon.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *